Foto: Divulgação

A Operação Lei Seca ganhou reforço no efetivo e aumentou de 15 para 21 equipes de fiscalização que atuam nas blitzes em todo o estado do Rio de Janeiro. Nesta segunda-feira (16/08) já foram percebidas mais blitzes nas ruas.

“Diante do cenário atual em que estão sendo registrados altos índices de alcoolemia nas blitzes é preciso reforçar a fiscalização, por isso aumentamos o número de equipes da Lei Seca para podermos atuar cada vez mais em diferentes regiões do estado”, afirma o secretário de Estado de Governo, Rodrigo Bacellar.

Após ter ficado suspensa por quase 7 meses devido à pandemia da Covid-19, a Operação Lei Seca retornou em outubro de 2020 e os índices de motoristas flagrados nas blitzes dirigindo sob efeito de álcool vêm aumentando consideravelmente. Antes da blitz ser suspensa em março de 2020, o percentual médio de motoristas com sinais de alcoolemia era de 4,5% e, somente no ano de 2021, o percentual está em 12,28%. No primeiro sábado deste mês de agosto, por exemplo, uma blitz chegou a alcançar 45,97% de motoristas embriagados na cidade de Teresópolis.

Em todo o mês de julho, 2.338 motoristas foram flagrados embriagados nas blitzes realizadas em todo o estado: o maior registro desde janeiro de 2021. E, em comparação com o mesmo mês nos anos anteriores, o número de motoristas alcoolizados não havia alcançado 2 mil pessoas desde 2012.

“É preciso seguir com a missão de salvar vidas, por isso precisamos intensificar as blitzes da Lei Seca e estar cada vez mais presente em diversas regiões do estado inibindo motoristas que insistem em dirigir sob efeito de álcool. Esse reforço chegou em um momento muito importante junto com a retomada do turismo e a reabertura gradual das atividades culturais no estado”, explica o superintendente da Operação Lei Seca, tenente-coronel Fábio Pinho.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui