Operação policial em Botafogo aborda 37 moradores de rua, que juntos somam mais de 300 anotações criminais

Homicídio, tentativa de homicídio, agressão, porte de armas, associação ao crime organizado, tráfico de drogas, roubo, furto, e Lei Maria da Penha foram alguns dos crimes verificados pela polícia

Abordagem de moradores de rua por agentes públicos estaduais, em Botafogo / Divulgação

Os moradores de Botafogo ficam um pouco mais aliviadas a partir desta quarta-feira (3). A Rua das Palmeiras, onde estava sendo formada uma cracolândia, com direito à prática de todos os tipos de delito, foi desmantelada na manhã de hoje, através de uma operação integrada dos agentes do Botafogo Presente (2º BPM), da Superintendência da Zona Sul (SEGOV) e com o apoio da 10ª DP. Na operação, que é resultado de uma denúncia feita pelo Diário do Rio, em 16/07, foram abordados nada menos que 37 suspeitos, sendo que somente 1 deles tinha 16 passagens pela polícia. Também foram apreendidas diversas armas brancas, como facas e outros objetos cortantes. Com informações do G1.

O superintendente da Zona Sul, Marcelo Maywald, destacou a urgência de tais ações para a segurança dos cariocas e fluminenses que transitam sem saber do perigo que correm ao sair às ruas.

“Estamos deflagrando essas ações integradas permanentes na região da Zona Sul. Não mediremos esforços para que as pessoas possam transitar pelos bairros com tranquilidade”, disse Maywald.

Os agentes públicos realizaram uma averiguação junto aos detidos e o resultado foi estarrecedor: todos os suspeitos contavam com alguma anotação criminal, seja por: homicídio, tentativa de homicídio, agressão, porte de armas, associação ao crime organizado, tráfico de drogas, roubo, furto, Lei Maria da Penha, desacato, entre outros crimes. Segundo os agentes estatais, os criminosos têm juntos mais de 300 passagens pela polícia.

A operação focou em uma das ruas mais tradicionais e tranquilas de Botafogo, a Rua das Palmeiras, onde os moradores já presenciavam a consolidação de uma cracolância. No local, os agentes do governo abordaram 13 pessoas, com as quais foram apreendidos crack, facas, tesouras e uma barra de ferro. A ação de Segurança governamental se estendeu pelas Rua Voluntários da Pátria, Praia de Botafogo, Rua Pinheiro Machado (em frente a Universidade Santa Ursula), Rua Paulo VI, na saída do metrô do Flamengo, e outros pontos de Botafogo considerados perigosos.

Os moradores do tradicional do bairro do Rio de janeiro já penavam com tais circunstâncias, conforme noticiou o Diário, em sua edição de 16 de julho. Os delitos praticados na cracolândia, bem perto do prédio do Palácio da Cidade – uma das sedes da prefeitura, e de um antigo batalhão da PMERJ , deixavam moradores e pedestres em pânico, pois ali se aglomeravam não somente usuários, mas também traficantes de drogas.

Em vídeos feitos no local – que fica próximo à esquina da rua São Clemente com a rua Serafim Valandro, junto a uma árvore centenária – era possível ver uma tábua de passar roupa que era usada para a distribuição de crack. Nos vídeos também era possível ver dois homens furtando uma grade azul do prédio da PM, pessoas urinando na rua e até um casal de usuários de drogas fazendo sexo na praça.

Advertisement

8 COMENTÁRIOS

  1. Grande merda o que a polícia fez, mais uma vez gastando dinheiro público pra nada. Vejam, na reportagem não menciona que foram feitas número X de prisões, porque não foram feitas. E não foram porque não tem mandado de prisão em aberto e se não tem, é pq o legislativo desse país que tanto consome dinheiro público, não trabalha específicamente pra criar leis que gerem reclusão, e a sociedade não cobra isso, cobra do supremo tribunal de justiça, que não tem nenhum papel de criar leis, só de aplica-las. Por isso que temos dois ladrões lideram a pesquisa presidencial. Pq o povo é preguiçoso e desonesto já mesma medida que seus representantes.

    O que chama tbm muito minha atenção é que agora, a polícia só “trabalha” nas ruas, quando ganha uma grana extra. Outro dia, haviam vários homens puxando celulares da janela dos ônibus na princesa Isabel, e dando pra uma mulher que guardava no seu isopor de vender bebidas. Fui lá na viatura do outro lado da rua, e avisei pro servidor que disse, tá. Falei pra ele ir lá e efetuar a pisão e ele disse que não, pq as leis eram brandas e acabam mandando soltar. Vê se tem cabimento, um profissional qualificado com uma prova de ensino médio, se recusar a fazer o que a gente paga pra ele fazer, pq ele acha que não tá valendo a pena trabalhar.

    Sobre esses moradores de rua. Precisamos da volta da política social do garotinho, com aquela fazenda modelo que ele tinha na zona oeste. Pega todos esses humanos aí, e leva eles pra lá, lá eles ficam se coçando o dia todo até morrer ou se aposentar pelo loas e poder sair da rua. É importante também,voltar com a doação de passagem pra esse pessoal voltar pros seus estados de origem. E mais importante de tudo, é aumentar a arrecadação fiscal das empresas que empregam migrantes pra funções profissionais que não exigem qualificação, que qualquer fluminense possa fazer. A quantidade de fluminense sem emprego, disposto a trabalhar e com excelente histórico profissional é bem grande. Não tem pq essas empresas deixar de absorve-los enquanto tem retirante ocupando vaga em mercado, portaria, lojista, motorista e mais um monte de funções que pessoas originais daqui do estado possa fazer. Não é difícil parar pra pensar que esses retirantes, vem e posteriormente trazem mais pessoas que infelizmente não são acolhidas pelo nosso estado, e por isso, são obrigadas a morar em áreas que na maioria das vezes são favelas, resultando em mais pessoas pra consumir o serviço públicos de saúde, mais crianças fora de creches, mais dinheiro pra construir novas escola pública, mais pessoas pra usar transporte público que já não tá dando conta, mais gente usando luz e água de forma regular. E ai o que acontece quando uma pessoa sem a mínima infraestrutura fica sem emprego ou com problemas de saúde que os retire do mercado de trabalho:
    Vão morar na rua. E todo mundo já sabe que depois de 5 anos na rua, essas pessoas em maioria absoluta, não são recuperadas para a volta ao mercado se trabalho. Então, morrer de fome é que elas não vão. Vale lembrar tbm que o judiciário brasileiro não cumpre sua parte. O apenado vem transferido pra cá , e quando é posto em liberdade, não dão a passagem pro cara recomeçar sua vida lá no seu estado de origem. Gente, pra resolver o problema dessas pessoas na rua é fácil, mas tem que querer resolver ao invez de querer ficar bem na foto pra próxima eleição.

  2. Não entendi.
    QUANTAS PESSOAS FORAM DETIDAS ????

    A reportagem diz que os moradores de rua tinham mais de 300 anotações criminosas, então eu pergunto, algum deles tinham mandato de prisão em aberto? Foram presos? Porque uma coisa que eu vejo muito é pegar, levar pra delegacia e depois solta, pq não existe mandato de prisão em aberto. Aí só gasta dinheiro público errado, pagando gasolina e servidor de segurança pública que já não é barato pra ficar dando passei de viatura com eles.
    Eu quero ver pegar o dinheiro e pagar as viagens de volta pro estado deles igual o garotinho fazia. Ou então fazer outra fazenda daquela em santa cruz como abrigo pra eles, era uma ótima opção, eles ficava lá o dia todo, até se cansarem e voltarem pra seus estados de origem.

    Uma outra coisa que chama muito.inha atenção é que a polícia militar só trabalha quando ganha a mais né? Porque os agentes do polícia presente trabalha pra caramba, enquanto os que estão de serviço normal, sem ganhar essa grana extra,fica só sentando no carro um e o outro em pé ao lado de fora mechendo o celular.
    Pq a polícia então faz operações dessas sem ser pelo polícia presente? O Guedes tem razão nesse aspecto, a polícia precisa passar por medidores de desempenho, só ficar fazendo showzinho pra expectador noa melhora a situação das ruas do Rio. E o governo precisa lançar um programa que aumente a arrecadação de empresas que emprega pessoas oriundas de outros estados e, existem bastante Fluminenses com qualificação e tempo vago pra ser e.oregado aqui. Quando emprega um migrante, depois dele, ele trás mais um monte, quase a família toda e infelizmente, como a cidade abriga mas não acolhe, esses acabam indo morar na favela, aí já viu né, é mais gente pra consumir transporte público, iluminação pública, coleta de lixo,serviço de água e mais um monte sem contribuir. Resultado, sucateia os serviços públicos de quem vive no honestamente aqui, serviços esses que já não são muito bom, ide a polícia militar. Eu mesmo já solicitei ajuda de um na praia mostrando uma mulher guardando vários celulares no isopor, enquanto jovens puxava pela janela do ônibus e o policial falou que não ia pq as leis eram brandas e mandavam soltar.

  3. E ainda pode ficar bem pior essa situação.
    O defensor de bandidos e amigo do Luladrão está vindo como candidato ao governo do Rio.
    A bandidagem agradece.

  4. O POVO tem que saber o passado do elements em que vai votar…administrar nao e pra qualquer pessoa…o POVO da zona oeste sao revanchista votam que qualquer um QUEREM se livrar do compromisso de ir as urnas…sao pobres e iram morrer POBREs…

  5. Parabéns ao Botafogo presente!!Tem q ter isso todo dia!!!Não são coitadinhos…SÃO MARGINAIS,ESTÃO ALI PRA ASSALTAR E MATAR SE UM INOCENTE VACILAR

  6. Aquele filhodaputaladrão do Cabral e seus amiguinhos de roubo fizeram o “favor”de desativar o batalhão q ficava num lugar estratégico!!!Obviamente deve ter levado alguma propina para isdo!!!Esse ladrão tem q MORRER na cadeia…ainda faltam seus comparsas!!!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui