Foto: Edu Kapps / Prefeitura do Rio

A Operação Ralo Limpo 2021 foi lançada na última segunda-feira (05/07) e, em dois dias, resultou na limpeza e desobstrução de 166 ralos em cinco vias com maior recorrência de alagamentos e bolsões de água na cidade. Ao todo, já foram removidas 5,4 toneladas de resíduos. A iniciativa é parte do planejamento estratégico para o período chuvoso de novembro a abril, o Plano Verão 21/22, coordenada pelo Centro de Operações Rio (COR).

Ao todo, a operação limpou 83 ralos na Avenida Presidente Vargas, no Centro; 60 na Avenida Armando Lombardi, na Barra da Tijuca; 15 na Rua Silva Freire, e oito na Rua Vinte e Quatro de Maio, entre a Alzira Valdetaro e a Gregório Neves, no Engenho Novo. As equipes vão intensificar a limpeza dessas caixas com o objetivo de facilitar o serviço de desobstrução das galerias feito pela Conservação.

Até setembro desde ano, o roteiro pretende ter limpado 50 vias da cidade com base em mapeamento feito pelo Centro de Operações. O trabalho envolve ainda equipes da Rio Águas, da CET-Rio, da Guarda Municipal e de todas as subprefeituras.

A novidade do planejamento deste ano é a antecipação em dois meses do calendário de limpeza, permitindo não só a conclusão do trabalho antes do período chuvoso como o desenvolvimento de projetos e soluções a longo prazo. As operações vão ocorrer em horários alternativos, fora dos períodos de rush, para minimizar os impactos no trânsito.

“O objetivo é investir cada vez mais em ações preventivas. Além de anteciparmos a operação, estamos realizando inspeções em busca de soluções não paliativas para melhorar o escoamento em cada região”, ressalta o chefe executivo Bruno Ramos.

A secretária de Conservação, Anna Laura Secco, enfatizou a importância da parceria com o COR e com os outros órgãos da Prefeitura no combate aos alagamentos e bolsões.

“Fazemos, constantemente, manutenção e limpeza dos sistemas de drenagem em vários pontos da cidade. Ações de planejamento, como a Operação Ralo Limpo, são fundamentais para garantir a circulação da população no período mais intenso de chuvas”, afirma Anna Laura.

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui