Os candidatos do Rio de Janeiro ao Senado em 2018

Os candidatos do Rio de Janeiro ao Senado em 2018

8 de agosto de 2018 0 Por Quintino Gomes Freire
Compartilhe

Você já sabe quem são os 11 candidatos a governador do Rio de Janeiro em 2018, mas em outubro o carioca também terá que escolher os representantes do Estado em Brasília, e é um total de 18 candidatos do Rio de Janeiro ao Senado em 2018. Afinal, são 2 vagas em disputa, em muitas chapas lançam 2 candidatos, mas nessa eleição tem chapa sem nenhum candidato, como é o caso do NOVO, com 3 na sopa de letrinhas de Eduardo Paes, ou chapa com senador mas sem governador, o caso do PSL e do PMB;


Tudo sobre as eleições 2018 no Rio de Janeiro

As 2 vagas em disputa as que em 2010 foram vencidas por Marcelo Crivella (PRB), e agora pertence ao seu 1º suplente, Eduardo Lopes, e a Lindbergh Farias (PT). O outro senador do Rio é Romário (Podemos), o que mostra como estamos mal representados em Brasília. Mas esse ano a eleição tem as mais diversas cores ideológicas entre os senadores com potencial de vitória, desde Chico Alencar, a Flávio Bolsonaro, de Cesar Maia, a Lindbergh Farias

Das 17 candidaturas, apenas 7 são realmente competitivas, afinal, estrategicamente não vale para uma chapa colocar 2 candidatos com reais chances de ganhar das vagas. Outra questão a se levar em conta em eleição para o Senado são os candidatos ao Executivo, uma boa chapa para presidente e para governador, normalmente ajuda um dos candidatos a senador.

Vamos aos principais candidatos, levando em conta as chapas da última pesquisa para governador do Instituto Paraná/JB, já que a do Senado não levava em conta a maioria das candidaturas. Atenção também aos suplentes, já que muitas vezes assumem as vagas, como foi o caso de Eduardo Lopes, com Crivella, e pode ser o caso do comunista João Batista Lemos, em caso de vitória de Romário.

Antes a análise que fizemos das candidaturas ao governo do estado do Rio:

E para o Senado:

Miro Teixeira (REDE)

Chapa: Podemos – REDE – PR – PPL
Governador: Romário (Podemos) Vice: Marcelo Delalori (PR)

1º Suplente: Sônia Rabello (REDE)
2º Suplente: Valeria Tatsch (REDE)

Com 73 anos, Miro Teixeira é deputado federal desde 1971! São dez mandatos em Brasília, já passou pelo PMDB, MDB, PP, PDT, PPS, PT, PDT e PROS. Foi ministro das comunicações de Lula de 2003 a 2004. E a aliança dele com Romário deixou insatisfeita a candidata a presidente, Marina Silva (REDE), que não parece ser uma grande fã do Baixinho.

O outro candidato  será Vivaldo Barbosa (Podemos).

Cesar Maia (DEM)

Chapa: DEM/PV/PP/DC/PSDB/PMN/AVANTE/PHS/MDB/SD/PPS/PTB
Governador: Eduardo Paes (DEM) Vice: Comte Bittencourt (PPS)

1º Suplente: Sérgio Zveiter (DEM)
2º Suplente: Alice Tamborindeguy (PP)

O ex-prefeito do Rio, Cesar Maia, 73 anos, vem tentar uma cadeira no Senado pela 3ª vez seguida, em 2010 ele ficou atrás de Lindbergh, Crivella e Picciani, e na 2ª perdeu para Romário.  Mas nunca teve um potencial de vitória tão grande, a começar pelo grande apoio que conta, o fato do filho, Rodrigo Maia, ser presidente da Câmara, e o bom momento de seu partido. Além da chapa para presidente, Alckmin e para governador, poder lhe garantir alguns votos necessários em uma campanha que parece acirrada.

Também pode se levar em conta que com o pouco tempo de campanha, um nome já conhecido, ajuda.

Os outros candidatos ao Senado da chapa são Aspásia Camargo (PSDB) e Ericson Gal (Avante).

Eduardo Lopes (PRB)

Chapa: PRP/PRB/PTC
Governador: Garotinho (PPR) Vice: Leide (PRB)

1ª Suplente: Sylvia Crivella (PRB)
2º Suplente: Luiz da Costa Guedes Junior

Radialista, o senador Eduardo Lopes (PRB), ocupava a vaga de 1º suplente de Crivella em 2010, e em 2016 passou a ocupar permanentemente o cargo quando da vitória do bispo para a Prefeitura do Rio. Assim como o prefeito, e a maioria do PRB, é membro da IURD. E, veja só, na chapa de Lopes a 1ª suplente é a Primeira-Dama do Rio, Sylvia Crivella, isso mesmo, a esposa do Bispo.

O outros candidato ao Senado da chapa é Walter Cristie (Patriotas).

Arolde de Oliveira (PSD)

Chapa: PSD
Governador: Índio da Costa (PSD) Vice: Zaqueu Teixeira (PSD)

1º Suplente: Carlos Portinho (PSD)
2ª Suplente: Renata Cordeiro Guerra (PSD)

O PSD vem com apenas 1 candidato e em uma chapa puro sangue, o escolhido foi o deputado federal veterano Arolde de Oliveira (PSD), 81 anos, capitão do exército, evangélico e dono de uma poderosa rádio religiosa. Ele teve, inclusive, uma declaração do 2º voto dos Bolsonaros, tudo isso somado torna sua candidatura bastante competitiva.

Arolde foi secretário de Transportes no 2º e 3º mandatos de Cesar Maia e de trabalho durante a gestão de Pezão no governo estadual.

O partido não terá outro candidato ao Senado.

Chico Alencar (PSol)

Chapa: PSOL/PCB
Governador: Tarcísio Motta (PSol) Vice: Ivanete da Silva (PSol)

1ª Suplente: Vanderlea da Silva Aguiar (PSol)
2ª Suplente: Maria das Dores Pereira Mota (PSol)

Exercendo cargos eletivos desde 1989, com 4 mandatos seguidos como deputado federal, Chico Alencar (PSol) estava para desistir da vida de candidato, mas vem como o melhor nome da esquerda carioca para o Senado. Historiador e professor licenciado da UFRJ, é conhecido por sua defesa de temas progressistas e é figura admirada até por membros da direita do Rio.

A outra candidato ao Senado da chapa é Marta Barçante (PCB).

Lindbergh Farias (PT)

PT/PCdoB
Governadora: Márcia Tiburi (PT) Vice: Leonardo Giordano (PCdoB)

1º Suplente: Edson Alves Silva Junior (PT)
2º Suplente: Anazir Maria de Oliveira (PT)

Atual Senador pelo PT, desde 2010, Lindbergh Farias, foi deputado federal, prefeito de Nova Iguaçu e ficou famoso durante o movimento dos Caras Pintadas, que pediu o impeachment de Collor, nos anos 90. Não creio ter muitas chances, em 2010 foi eleito graças ao rolo compressor que Lula tinha virado e como senador do Rio foi um ótimo advogado do PT, usando seu tempo mais defendendo o partido do que o estado do Rio.

O partido não terá outro candidato ao Senado.

Flávio Bolsonaro (PSL)

1º Suplente: Paulo Roberto Franco Marinho (PSL)
2º Suplente: Leonardo Rodrigues (PSL)

Em último mas em primeiro nas pesquisas, está o deputado estadual desde 2003 Flávio Bolsonaro (PSL) que vem em uma chapa sem candidato ao governo. Não que ele precise, a força do clã Bolsonaro pode ajudar a elege-lo sem a necessidade de apoio de outros partidos ou políticos.

Outros candidatos

A seguir uma lista com os candidatos dos outros partidos que não tem grandes chances na disputa para o Senado.

PRTB
Senador: Matusael do Nascimento
1º Suplente: George Felipe Lopes do Espírito Santo
2º Suplente: Djamim Ferreira de Souza

PSC/PROS
Senador: Bispo Everaldo Pereira
1º Suplente: Donizeti de Assis Dias Pereira
2º Suplente: Edimilson Dias Pereira

PDT
Senador: José Bonifácio
1º Suplente: Maria Latge Kwamme
2º Suplente: Alice Figueira

PSTU
Senador: Cyro Garcia
1ª Suplente: Júlia Eberhardt
2º Suplente: Sérgio Bruno Alves Perdigão

Senadora: Samantha Araujo Guedes
1º Suplente: Juzerley Assunção Santos
2ª Suplente: Maria Elisa Wildhagen Guimarães

 

Diretor de mídias sociais na Agência B5, palestrante, publicitário, Defensor do Carioca Way of Life e Embaixador do Rio. Começou o Diário do Rio em 2007 e está a frente dele até hoje o levando ser um dos principais portais sobre o Rio de Janeiro.


Compartilhe