A década de 2010 foi de bastante sucesso para os jogadores brasileiros de poker, o que mostra que a modalidade mais popular dos esportes da mente cresce cada vez mais no país. Neste período, nosso número de campeões do World Series of Poker, principal circuito mundial, saltou de um para seis. Além disso, tivemos competidores obtendo ótimos resultados tanto no cenário ao vivo quanto no online.

Abaixo, listamos alguns dos principais jogadores do país nos últimos dez anos. Confira:

Alexandre Gomes

Foto: Divulgação/Pokernews

Embora a melhor fase do jogador paranaense (recordista brasileiro em faturamento histórico com poker em torneios ao vivo, com US$ 3,6 milhões) tenha sido na década passada, quando se tornou o primeiro brasileiro a vencer o WSOP, não dá pra descartar os resultados dos últimos dez anos no circuito.
Torcedor fanático do Coritiba, Alexandre conquistou um título no Caribe e fez mesa final em vários torneios, como o European Poker Tour e o partypoker MILLIONS, ambos na Rússia. De 2011 pra cá, a lenda do poker nacional faturou mais de US$ 500 mil em prêmios.

João Simão

Foto: Divulgação/partypoker

Talvez um dos melhores jogadores brasileiros da década, o embaixador do partypoker se consolidou como destaque do cenário nacional com títulos de peso, como o World Poker Tour (2016) e o Brazilian Series of Poker (2018), além de diversas mesas finais. O mineiro de Belo Horizonte se firmou como um dos mais premiados jogadores de poker do país (ficando apenas atrás de Alexandre Gomes em premiação ao vivo), com pouco mais
US$ 3,09 milhões, sendo que obteve mais de 90% dessa margem nos últimos dez anos.

Além dos resultados obtidos em torneios ao vivo, João Simão se tornou uma referência em poker online no Brasil, sendo o recordista histórico em premiações na internet. Só nos torneios online, de acordo com o site especializado Pocket Fives, Simão já faturou US$ 9,4 milhões, o que leva sua premiação total (ao vivo + online) a 8 dígitos!

Yuri Martins Dzivielevski

Foto: Superpoker

Figura constante nos principais torneios nacionais e internacionais, o paranaense foi um dos mais relevantes jogadores brasileiros da década, com diversos resultados consistentes ao longo dos últimos dez anos. O principal título foi o evento 51 do World Series of Poker do ano passado, quando ele entrou para o seleto grupo de jogadores brasileiros que conquistaram o bracelete do maior torneio do planeta (apenas 6 conseguiram o feito).

Ele também foi campeão do Brazilian Series of Poker em 2015, faturando o BSOP Millions em São Paulo e conquistando mais de R$ 600 mil. Ao todo, sua premiação na década é de US$ 1,2 milhão, o que o coloca como o 12º jogador mais premiado da história do país.

André Akkari

Foto: Reprodução/Instagram

Um dos grandes responsáveis pela promoção do poker no país, o paulista também entra na lista dos melhores da década. Ele é um dos seis brasileiros que já conquistou o bracelete do WSOP, mas foi o único a conseguir o feito no Main Event, em 2011, o que lhe rendeu a maior premiação de toda a carreira (US$ 675 mil).

Também fez bonito no BSOP Millions em 2017, além de outros resultados de destaque no Latin America Poker Tour e European Poker Tour. Veterano do mundo do poker, pode-se dizer que ele fez boa parte de sua “fortuna” em prêmios de US$ 2,6 milhões nos últimos dez anos (além dos ganhos no poker online, que ultrapassam os US$ 3 milhões). É o terceiro jogador que mais ganhou com poker na história do país.

Roberly Felício

Foto: Luís Bertazini/Superpoker

Outro veterano do poker que também está na lista é Roberly Felício, que tem no currículo o título do evento 7 do World Series of Poker em 2018. Ele lhe rendeu a quantia de US$ 1 milhão, a maior premiação da carreira de longe. Três anos, ele também adicionou outra conquista de respeito ao seu histórico: BSOP Millions.

Roberly já competiu em diversos países e obteve a marca de US$ 1,1 milhão em prêmios ao longo dos últimos ano, estando entre os 15 maiores do país em todos os tempos.

Thiago Nishijima

Foto: Antonio Abrego/WSOP

Quem também já esteve no topo do pódio do WSOP e não poderia faltar nessa lista é Thiago Nishijima, conhecido no circuito como Decano. Em 2015, ele faturou o evento 38 em Las Vegas e levou pra casa mais de US$ 546 mil, a maior premiação de sua carreira até hoje. Com a conquista, o competidor se consolidou como o 5º maior jogador da história de Brasil em termos de ganhos financeiros nos torneios ao vivo.

Decano também foi duas vezes campeão do Brazilian Series of Poker (ambas em 2016) e fez mesa final em vários torneios de peso, o que definitivamente o coloca como um dos destaques nacionais da década.

Murilo Figueiredo

Foto: Tomas Stacha/WSOP

Completando o hall de brasileiros detentores do bracelete do WSOP, Murilo foi conseguiu o feito no evento 14 do ano passado, em Las Vegas. A premiação de US$ 207 mil mudou sua carreira de patamar.
Além desse título, o jogador obteve bons resultados em diversas edições do Brazilian Series of Poker. Apesar de ter uma premiação total de carreira bastante abaixo dos demais, não poderia ficar fora da lista.

Pablo Brito

Foto: Divulgação/partypoker

Fechando a lista aparece o baiano Pablo Brito, mais conhecido como “Pabritz”. Nome bastante relevante no cenário online, ele também apareceu para o circuito ao vivo neste ano ao vencer o partypoker MILLIONS South America, em fevereiro, no Uruguai. O prêmio foi de US$ 1 milhão, o segundo maior da história para qualquer jogador brasileiro.

De quebra, Pabritz ganhou títulos importantes no circuito online durante a pandemia, como o Irish Open, World Poker Tour e The Big Game, sendo o grande nome do poker nacional em 2020 e promessa de muitas conquistas nos próximos anos.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui