No próximo dia 27 de outubro, a Orquestra Sinfônica Brasileira estará de volta ao palco da Sala Cecília Meireles, com um concerto que integra o Projeto Amazônia Tour. No programa, obras de Augusta Holmès, Heitor Villa-Lobos e Pierre Thilloy. A regência fica a cargo do maestro convidado Miguel Campos Neto.

O Projeto Amazônia Tour é uma realização da Xanadu Association em parceria com Embaixada da França no Brasil e com a Fundação Orquestra Sinfônica Brasileira para o concerto do Rio de Janeiro e tem como objetivo unir música e conscientização ambiental. Para isso, diversas orquestras do país foram convidadas a realizar concertos sinfônicos, com repertório franco-brasileiro, usando a força da música para promover o diálogo sobre a conservação da Amazônia.

Se geograficamente Brasil e França estão separados por quilômetros de distância, no campo da arte os enlaces são íntimos e fecundos. Neste concerto, o diálogo artístico entre os países é o grande destaque. O espetáculo tece uma rede sonora de influências cruzadas entre Brasil e França e propõe uma verdadeira viagem musical. O itinerário também se dá também no tempo: à obra do elogiado compositor contemporâneo francês Pierre Thilloy se justapõem trabalhos de Holmès e Villa-Lobos.

O mascote. Foto: Divulgação

O programa tem início com o inspirado “La nuit et l’amour”, da compositora parisiense Augusta Holmès (1847 – 1903). Discípula de César Franck, Holmès talvez não seja tão conhecida quanto seus contemporâneos, mas suas composições vêm sendo redescobertas e executadas. Uma grande intelectual, ela escreveu várias obras de fôlego, além de mais de 100 canções. Extraído da ode-sinfonia Ludus pro Patria, “La nuit et l’amour” é um interlúdio extasiante e envolvente que combina lirismo e paixão.

A segunda peça do programa é a “Sinfonietta nº 1” de Heitor Villa-Lobos (1887 – 1959), o nome mais conhecido da música clássica nacional. Nesta obra da juventude, técnicas tradicionais de composição (lembremos que a obra é dedicada a Mozart) e melodias brasileiras se entrelaçam. O resultado é uma composição que aspira – ao mesmo tempo –, ao nacional e ao universal.

De volta à França, a noite se encerra com “Amazônia”, um extraordinário Concerto para tímpanos e orquestra, de Pierre Thilloy, que contará com o timpanista da OSB, Rodrigo Foti, como solista. Escrita em 2019, esta é a segunda obra do vasto catálogo do compositor contemporâneo que tem o Brasil como matriz inspiradora.

PROGRAMA:
Augusta Holmès – Ludus pro Patria
II. La nuit et l’amour

Heitor Villa-Lobos – Sinfonietta nº 1
I. Allegro Giusto
II. Andante non troppo
III. Andantino

Pierre Thilloy – Amazônia (Concerto para tímpanos e orquestra)
I. Lontano oscuro – largo subito – andante subito
II. Largo
III. Allegro immobile – cadenza, alegro tempestuoso

SERVIÇO:
OSB – Concerto Especial do Projeto Amazônia Tour
Miguel Campos Neto, regência
Rodrigo Foti, tímpanos
Dia 27 de outubro de 2021 (quarta-feira), às 19h
Local: Sala Cecília Meireles (Rua da Lapa, 47 – Centro, Rio de Janeiro)
Ingressos: R$ 40,00 (R$20,00 meia)
À venda na bilheteria da Sala e no site Sympla

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui