Arte de Rua no Rio de Janeiro
Grafite na Tijuca (foto: Alvaro Tallarico)

Se seu muro está sujo, pode não ficar mais, basta deixar que seja abraçado pela arte. A arte de rua é cada vez mais atrativa. O grafite ganha o mundo e já vira até ponto turístico em vários locais do planeta. É só ver a quantidade de fotos que as pessoas tiram nos gigantescos murais do Eduardo Kobra na região do Porto Maravilha, por exemplo.

Daí que vem a inspiração para a crônica de hoje. Deu no Diário do Rio, o Rua Walls é um novo projeto urbanístico para a Zona Portuária que vai contar com diversos artistas pintando os muros externos do porto, entre os armazéns 10 e 18. É uma iniciativa extremamente louvável.

Pessoalmente, sou um grande apreciador dessa arte. Adoro passar pelas ruas e olhar muros que se transformaram em telas para uma diversidade impressionante de artistas. Já fui em alguns grandes museus, como o famoso e badalado Louvre, em Paris, mas, sinceramente, algumas das artes que mais me tocaram estavam nas paredes do Rio de Janeiro, quando eu menos esperava. Ou seja, nem precisa se preocupar com a ilusão da Europa, preste mais atenção nos arredores.

A cidade maravilhosa tem todo um colorido diferente cheio do verde das árvores, do azul do céu, do amarelo do sol que não nos deixa… Contudo, como cosmopolita e urbana que também é, há o cinza dos prédios, do concreto frio e duro. Aí que entram as cores dessas almas criativas embelezando a cidade. Quantas e quantas vezes, caminhando pensativo, dei de cara com os grafites do Marcelo Eco, aqueles desenhos marcantes de queixo pontudo, pela região da Tijuca? Ou fui hipnotizado por pinturas numa rua de Vila Isabel, numa esquina de Santa Teresa, e naquela rua da Lapa que sai na escadaria Selarón?

View this post on Instagram

#letmego

A post shared by Vivente Andante (@viventeandante) on

Um dos caminhos para o desenvolvimento social é a arte e suas infinitas possibilidades. Assim, a única arma na mão dos jovens pode e deve ser um spray ou um pincel. Logicamente, cabe a nós valorizar e estimular essa difícil estrada. Afinal, em dias tristes, tantas vezes uma dessas artes me aconchegou, vendo da janela do ônibus e pensando de onde o artista tinha tirado aquela ideia. Outra coisa que me desperta sorrisos é ver a interação das pessoas passando em frente às pinturas. Transformam-se em personagens de desenho animado, do filme que escrevo mentalmente; de um cotidiano mais bonito – e esperançoso.

E você? Alguma arte de rua já saltou aos seus olhos?

2 COMENTÁRIOS

  1. UM PAÍS SOMENTE PODE SER DESENVOLVIDO SE PRIMEIRAMENTE O SEU POVO TAMBÉM O FOR…
    Esta arte primitivista que encontramos nas ruas são o espelho do primitivismo social a que fomos submetidos por sucessivos governos oligárquicos, que se serviram dos seus cargos e do poder, em vez de servir ao país.
    A desassistência e o descaso, desde Prudente de Morais, que EMPURROU os soldados egressos da Campanha de Canudos nos morros da Providência e da Glória, bem como todos os outros presidentes, que simplesmente desconsideraram os candangos de Brasília e a multidão do êxodo rural, criando, a esmo, sem qualquer assistência e sem qualquer dignidade comunidades como Ceilândia, Taguatinga, Catacumba, Rocinha, Alemão e Cidade de Deus, não me deixam mentir.
    O povo brasileiro é carente de tudo, enquanto o Estado brasileiro precisa urgentemente de um regime alimentar, pois come exageradamente e ainda desperdiça a comida que deveria ser de todos os brasileiros…
    Sem evolução, sem conhecimento e sem opções, aqueles mais habilidosos e sensíveis expressam sua arte como podem, nem que seja como um sinal do nível sociocultural em que nos encontramos.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui