O arquiteto Rui Rezende apresenta o plano de revitalização da porção leste da Cidade Nova em solenidade no Palácio da Cidade. Foto: Mariana Ramos / Prefeitura do Rio
O arquiteto Rui Rezende apresenta o plano de revitalização da porção leste da Cidade Nova em solenidade no Palácio da Cidade. Foto: Mariana Ramos / Prefeitura do Rio

O bispo Marcelo Crivella, assinou nesta 2ª, 16/9, um termo de cooperação com o Instituto Cidade Nova para reassentamento de 70 famílias de baixa renda que vivem no entorno do Sambódromo. O acordo prevê ainda a reurbanização da parte leste da Cidade Nova, numa área de aproximadamente 10 mil m². O investimento será todo da iniciativa privada, e à Prefeitura caberá a cessão de um terreno para a construção das moradias das famílias.

As 70 famílias vivem atualmente numa área compreendida entre as ruas Júlio do Carmo e Presidente Barroso e a Travessa Pedregais. Elas moram em habitações modestas, construídas a partir de ocupações irregulares há décadas. Todas irão para 2 prédios que serão erguidos pelo Instituto Cidade Nova, a 400 metros de onde vivem, na Rua Frei Caneca, com unidades de 45 metros quadrados, no mesmo padrão das que são construídas no programa habitacional Minha Casa Minha Vida. O espaço hoje ocupado pelas residências será inteiramente transformado: ali haverá 2 praças, com áreas de lazer para crianças, jovens e idosos, e 1 base da Guarda Municipal.

Pao-do-Ouvidor
Cada vez mais, o Shopping Paço do Ouvidor se fortalece como ponto de encontro no Centro do Rio. Passa no Paço.

O projeto de revitalização da área leste da Cidade Nova se baseia num tripé, segundo o arquiteto responsável, Rui Rezende: conquista social, requalificação urbana e segurança. O Instituto Cidade Nova, autor da iniciativa, reúne empresas da região, que financiarão a transformação urbana do espaço.

Além das moradias novas, as 70 famílias receberão aulas em cursos profissionalizantes para que se capacitem para o mercado de trabalho.

2 COMENTÁRIOS

  1. E para complementar: seria bacana a implementação de um shopping center de grande porte na região da Cidade Nova pois isso revitaliza qualquer região e garante um maior fluxo de pessoas. Mas é necessário investir primeiro em projetos residenciais no entorno. Apesar de que, creio que por ser no Centro, o Shopping já teria garantido um fluxo de visitantes diário.

  2. A região da Cidade Nova merece de fato, uma revitalização. Há duas coisas na região que cito como positivas: 1) Aquela passarela com os arcos dourados da estação de metrô Cidade Nova é um luxo, um diferencial estético e arquitetônico (coisa não muito comum no Rio que só faz passarela, viaduto e pontes de concreto e pedregulho para seu objetivo final sem se preocupar com a estética) e 2) a Rua Afonso Cavalcanti (atrás do prédio da Prefeitura) que é a única rua da região bonita e com ares de modernidade. Não entendo como a região da própria Prefeitura não teve um boom até hoje. Aquela área não devia ser abandonada e ser um ambiente comercial, residencial, moderno, etc, afinal de contas, é a região da sede da Prefeitura! Sobre o Sambódromo, a degradação do entorno é triste. O Governo Municipal e a iniciativa privada poderiam usar mais a criatividade e implantar no entorno daquele local mais coisas, mais prédios, mais atividades, etc, uma vez que o Sambódromo é uma região turística. Que tal fizessem um Museu sobre o samba carioca? Ou um Museu do Carnaval? Algo com uma arquitetura imponente e que fizesse referência para o próprio Carnaval. Se a região do Sambódromo fosse mais bem cuidada creio que seu potencial turístico iria aumentar e muito e os turistas agradeceriam.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui