Pedra do Quilombo, no Parque Estadual da Pedra Branca - Foto: Inea

Quando pensamos em contato direto com a natureza no Rio de Janeiro, logo nos vem à cabeça locais, por exemplo, como a Floresta da Tijuca, Jardim Botânico e Parque Lage, muito visitados por turistas. No entanto, na Zona Oeste da capital fluminense está aquela que é considerada a maior floresta urbana do Brasil. Trata-se do Parque Estadual da Pedra Branca, que tem aproximadamente 12.500 hectares de extensão, ocupando cerca de 10% da área total da cidade.

O parque é tão grande que, segundo o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), abrange 17 bairros: Jacarepaguá, Taquara, Camorim, Vargem Pequena, Vargem Grande, Recreio dos Bandeirantes, Grumari, Padre Miguel, Bangu, Senador Camará, Jardim Sulacap, Realengo, Santíssimo, Campo Grande, Senador Vasconcelos, Guaratiba e Barra de Guaratiba.

No local, a vegetação observada é típica da mata atlântica, composta por cedros, jacarandás, jequitibás e ipês, acolhendo uma variada fauna de animais tais como onça-parda, jaguatiricas, preguiças-de-coleira, tamanduás-mirins, pacas, tatus, teiús, cuandus, tucanos, jacus e cutias.

Paralelamente, o parque tem construções de interesse cultural, como aquedutos, represas, ruínas de sedes de antigas fazendas e pórtico. Além disso, dentro dele há diversas cachoeiras, muito utilizadas pelos frequentadores, e até praias, como a Praia do Perigoso, a mais conhecida do Pedra Branca.

E não há como falar do parque sem citar o Pico da Pedra Branca, considerado o ponto culminante do município do Rio, com 1.025 metros de altitude. Para chegar até ele, não é tão simples, devido à pouca quantidade de trilhas e de vias pavimentadas. Com isso, o principal acesso é pela sede do Núcleo Pau da Fome, em Jacarepaguá, e pelo Núcleo Rio da Praia, em Campo Grande.

Vale destacar também que, através do Núcleo Pau da Fome, é possível chegar à Pedra Hime, também conhecida como Pedra do Canino. Com 365 metros de altitude, para escalá-la há diversos níveis de dificuldade. Já outro núcleo do parque, o Piraquara, passou recentemente por ações de revitalização e reflorestamento.

”O Parque da Pedra Branca é a maior floresta urbana do mundo. São incontáveis espécies da nossas fauna e flora vivendo lá. É fundamental para o bom funcionamento da cidade ter um espaço como esse, sobretudo bem preservado. Sem contar que é uma ótima área de lazer, com trilhas, cachoeiras. Os bairros que têm esse parque ao seu redor são privilegiados”, diz Felipe Lucena, jornalista do DIÁRIO DO RIO e frequentador assíduo do local.

Temos o Imóvel que você procura. Block Imóveis

A Zona Oeste do Rio é riquíssima em fauna e flora. Além do Parque Estadual da Pedra Branca, há diversas outras áreas verdes, algumas, inclusive, já noticiadas pelo DIÁRIO DO RIO, como o Bosque da Barra, a Ilha da Gigóia e o Parque Municipal de Marapendi. Não dá para deixar de visitar.

2 COMENTÁRIOS

  1. Qdo abrirmos os olhos não será mais!!
    Favelas crescendo pelas encostas,enfeiando e esculhambando tudo!!
    Tem muito espertalhão que invade,sabendo da frouxidão da lei!!
    Preferem invadir e ver se cola,mesmo podendo comprar terrenos legalizados…..

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui