Fachada do Palácio Tiradentes, no Centro do Rio - Foto Cleomir Tavares/Diário do Rio

As pessoas que estão em tratamento de sequelas causadas pela covid-19 poderão ter gratuidade nas passagens de ônibus intermunicipais no Estado do Rio de Janeiro. É o que prevê o Projeto de lei 4293/2021, apresentado pelo deputado Jair Bittencourt (PP), está em tramitação na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

A proposta do vice-presidente da Alerj altera a lei 4.510/2005, Jair Bittencourt ,argumenta que são mais de 11 milhões de curados da Covid-19 no Brasil. No entanto, inúmeras dessas pessoas ficaram com sequelas após a doença e necessitam de acompanhamento e tratamento de diferentes especialidades médicas.

“As várias idas e vindas aos estabelecimentos de saúde oneram ainda mais a população que precisa tratar os efeitos da doença. Como a pandemia reduziu a renda das famílias, é justo que as pessoas em tratamento da síndrome pós-covid tenham gratuidade no transporte”, afirma o deputado Jair Bittencourt.

Na justificativa do projeto de lei são apresentadas como sintomas da síndrome pós-covid: fadiga, falta de ar, dores de cabeça, dores musculares, queda de cabelo, perda de paladar e olfato (temporária ou duradoura), dor no peito, tontura, trombose, palpitações, depressão e ansiedade, dificuldades de linguagem, raciocínio e memória. 

De acordo com o projeto de lei, deverá ser assegurada a isenção no pagamento de tarifa nos serviços convencionais de transporte rodoviário intermunicipal de passageiros de ônibus para alunos do ensino fundamental, médio e técnico de nível médio, integrado, concomitante e subsequente das redes públicas municipal, estadual e federal; para pessoas com deficiência, portadoras de síndrome pós-Covid e para pessoas portadoras de doença crônica de natureza física ou mental, cuja interrupção no tratamento possa acarretar risco de morte.

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

1 COMENTÁRIO

  1. Vê-se bem o quão embusteiro é o político quando ele começa a virar “justiceiro” criando gratuidades com o chapéu alheio. Deputado, vá lavar uma roupa, vá caçar um trabalho digno. O Estado do RJ precisa de ordem, precisa de negócios, precisa de comércio e dinheiro girando – não precisa de escambo, prebendas, gratuidades, assistencialismo.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui