A Alma Encantadora das Ruas por arianemittidieriO pessoal do Núcleo de Estudos sobre Geografia Humanística, Artes e Cidade do Rio de Janeiro (NEGHA-Rio) voltou a fazer o seus Roteiros Geográficos do Rio, os já conhecidos passeios a pé pela cidade. Como sempre, os passeios são gratuitos e as inscrições podem ser feitas pelo telefone (21) 8871 7238 – roteirosgeorio@uol.com.br. Instabilidade do tempo pode provocar o cancelamento do Roteiro.

Os roteiros são feitos com doutorandos da UERJ, há até passeio no Cemitério do Catumbi. No dia 12 de outubro já tem!

No Abençoado Rastro de Francisco

Dia: 12 de outubro – às 12 horas
Ponto de Encontro: Jardins da Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro, av. Chile.
Trajeto: Catedral Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro (visita) – Capela atrás do altar – Av. Chile – Largo da Carioca – Av. 13 de Maio – Rua Manoel de Carvalho – Theatro Municipal – Av. Rio Branco – Centro Cultural da Justiça Federal (ex STF) – Cinelândia – Passeio Público – Praça Paris – Rua da Glória – Palácio São Joaquim – calçamento do Palácio São Joaquim

Percorrendo o Porto Olímpico

Dia: 20 de outubro de 2013, domingo, 11 horas da manhã
Ponto de Encontro: Calçada do Museu do MAR (Museu de Arte do Rio) Praça Mauá, 5
Trajeto: Visita ao terraço do Museu do Mar – Vislumbrando o traçado da Av. Rio Branco – as metamorfoses do Porto com vistas ao mega evento Olímpico de 2016 – Edifício A Noite/Rádio Nacional tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – os contrastes e as diversas temporalidades nas edificações da Praça Mauá, Av. Rio Branco e Rua Acre – Rua Sacadura Cabral e seu restauro – Igreja de São Francisco da Prainha – Pedra do Sal (uma das nascentes do samba) – a construção do túnel binário do Porto Maravilha – Cais do Valongo/Cais da Imperatriz – os sobrados e o Moinho Fluminense da eterna rua Sacadura Cabral

Caminhando Entre Luzes no Centro do Rio à Noite

Dia: 24 de outubro – às 20 horas – (quinta-feira)
Ponto de Encontro: Degraus da Casa França-Brasil (junto ao Centro Cultural Banco do Brasil em frente à Igreja de Nossa Senhora da Candelária)
Trajeto: Luminoso Centro Cultural Banco do Brasil – Alfândega/Casa França-Brasil do Rio Joanino – Igreja Nossa Senhora da Candelária, Fonte de Luz e de Fé – O iluminamento do Centro Cultural dos Correios – Centro histórico beira-mar e de testemunhos geográficos – O foco de luz distante e permanente do Antigo Senado e da Catedral de São Sebastião do Rio de Janeiro no templo das irmandades negras de São Benedito e de Nossa Senhora do Rosário – O Varandão do Centro Cultural da Justiça Eleitoral – Rua do Rosário e da toporreabilitação dos sobrados do Dr. Carlos Lessa – Rua do Ouvidor, logradouro inicial da iluminação a gás, azeite e da energia elétrica no espaço coletivo carioca, de Machado de Assis e Chiquinha Gonzaga, bem como dos primeiros acordes do carnaval carioca, das lutas pelo abolicionismo e a República, bem como das confeitarias e lojas elegantes – O sobrado e o brilho das estrelas Carmen e Aurora Miranda no sobrado da Travessa do Comércio – O iluminamento da antiga Catedral da Sé/Igreja do Carmo – De volta à claridade do Convento dos Carmelitas e de Dona Maria I, a Louca – Paço Imperial e da Luminar Isabel de Bourbon e Bragança –Chafariz do Mestre Valentim / Praça XV da chegada da Família Real e das comemorações da Abolição da Escravidão; Monumento a Osório, o toque vigoroso dos skatistas sobre o chão liso da Praça XV, os refletores sobre Tiradentes e a ALERJ – os domínios da Justiça – resquícios e memória do morro do Castelo “berço da cidade” – o requinte dos antigos Ministérios da Fazenda, do MEC e a austeridade do Ministério do Trabalho – a murada no estacionamento subterrâneo da Esplanada do Castelo – Luzia dos Santos e geográficos olhares – as esculturas interativas de Manoel Bandeira, Machado de Assis e Joaquim Nabuco junto à Academia Brasileira de Letras – As novas torres da Esplanada do Castelo – O universo de extrema luminosidade da Cinelândia e seus majestosos prédios – A iluminância do Theatro Municipal, da Biblioteca Nacional, do Boêmio Amarelinho, da Câmara dos Vereadores/Palácio Pedro Ernesto, o Centro Cultural da Justiça Federal – antigo STF, o eterno e resplandecente Cine Odeon – o diálogo do Rio Colonial com a Cidade Maravilhosa, Metrô – uma sentinela luminosa a nos conduzir por lunares e ensolaradas geografias nesta Olímpica e Maravilhosa Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro e de São Jorge Guerreiro, Patrimônio Mundial da Humanidade –
Duração: 3 horas.

Viva o Campo de Santana!

Dia: 30 de outubro de 2013 – quarta-feira – 11 horas da manhã
Ponto de Encontro: Portaria do Arquivo Nacional/antiga Casa da Moeda (visita- Praça da República, 173) –
Trajeto: Rádios MEC am/fm – Faculdade de Direito (ex Senado) – Departamento de Parques e Jardins, no interior do Campo de Santana (portão em frente à Rua Moncorvo Filho / Largo do Caco) – As perspectivas com vistas ao novo Campo de Santana – o papel do Departamento de Parques e Jardins – explorando o interior do Campo de Santana, das festividades e rituais religiosos, do casamento de D. Pedro e da Imperatriz Leopoldina, da aclamação popular de Dom João VI, do samba O Pato de Jaime Silva e Neusa Teixeira gravado por Jo ão Gilberto e da Proclamação da República em 1889 – os bustos dedicados a Sinhô e Vicente Celestino, baluartes e honra e glória da música popular brasileira – o ajardinamento de Glaziou.
Duração: 1 hora e meia

(Re)conhecendo o Interior do Cemitério do Catumbi

Dia: 3 de novembro de 2013 – domingo – 10 horas da manhã
Ponto de Encontro: Portão do Cemitério, Rua Catumbi, 120

Descortinando Símbolos da Praça 15, Rua do Mercado e Arredores

Dia: 9 de novembro de 2013, sábado – 17 horas
Ponto de Encontro: Junto à Igreja do Carmo – Praça 15 com Ruas 1º de Março e Sete de Setembro)
Roteiro: Igreja de Nossa Senhora do Carmo, antiga Catedral, de reais e imperiais batismos, casamentos e sagrações, Convento dos Carmelitas e de D. Maria I, a Louca; Palácio Tiradentes (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro – ALERJ) – rua D. Manuel e os prédios do Museu Naval e da Procuradoria Geral do Estado do Rio de Janeiro, Praça XV – uma toponímia imposta pela República no Centro da Colônia, do Reino e do Império, Paço Imperial e de Isabel de Orleans e Bragança; Estação das Barcas; Chafariz do Mestre Valentim; Praça XV da chegada da Família Real, do cortejo fúnebre de Dona Maria I, e das comemorações da Abolição da Escravidão; Monumento a Osório, o toque vigoroso dos skatistas sobre o chão liso da Praça XV, Arco do Telles do antigo Senado da Câmara; Rua do Mercado; Beco da Cultura e de testemunhos geográficos – Casa França-Brasil, Centro Cultural Banco do Brasil
Duração: 1 hora e 30 minutos

Ordem e Progresso no Rio dos Símbolos Republicanos

Dia: 15 de novembro às 15 horas
Ponto de Encontro: Portaria da Casa de Deodoro na Praça da República 197 (na confluência da Praça da República, Campo de Santana e Av. Presidente Vargas)
Roteiro: Campo de Santana e da Proclamação da República – Rua da Constituição – Praça Tiradentes (um nome recuperado e imposto pela República) – Rua da Carioca, o alargamento de um logradouro na busca da Paris nos Trópicos – Largo da Carioca – o diálogo do Rio Colonial com a Cidade Maravilhosa – Av. Rio Branco e Cinelândia com monumentos criados pelos ideais Republicanos – O bota-abaixo de Pereira Passos, Rodrigues Alves e Paulo de Frontin; a erradicação e combate às velhas usanças promovidas por Oswaldo Cruz, o “Rato, Rato” no canto do povo no Reinado de Momo, a inauguração da Avenida Rio Branco no momento simbólico de 15 de novembro de 1905; o disciplinamento do uso do solo urbano de então; uma artéria-símbolo da ordem e do progresso republicanos na capital do país; a mudança da toponímia em 1912 com a morte do diplomata Rio Branco, as diversas temporalidades das edificações deste traçado; as manifestações políticas e procissões religiosas; os triunfantes desfiles de celebridades, misses, atletas, políticos e atores; os carnavais de outrora e da atualidade na Avenida desta Sebastianopolis; a permanência e requalificação do Edifício Central com seu infoshopping; o equipamento urbanístico nas calçadas da Avenida; as diversas temporalidades e os suntuosos edifícios junto à Cinelândia e seu precioso/belo conjunto arquitetônico; Metrô, uma sentinela luminosa a nos conduzir por lunares e ensolaradas geografias na Olímpica e Maravilhosa Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro; a Rio Branco como centro de financeiro, de gestão, cultural, religioso; político e de toda gente; Rio Branco – uma avenida na alma do povo.

Caminhando por Negras Geografias no Centro do Rio

Dia: 20 de novembro – 10 horas da manhã – (quarta-feira)
Ponto de Encontro: Estação do metrô Praça Onze – grátis – em homenagem à Zumbi dos Palmares
Roteiro: Praça Onze dos bambas – Sambódromo (visita) – Monumento a Zumbi dos Palmares – Terreirão do Samba/palco João da Baiana (visita) – Escola Tia Ciata (em reverência à yalorixá da Pequena África do Rio de Janeiro) – Igreja de Santana, mãe de Maria, avó de Jesus, a Nanã de negra devoção (visita)

Marlene 91 Novembros – Deus Salve a Rainha!

Um roteiro em homenagem aos 91 anos de vida (22 de novembro) da cantora e atriz Marlene

Dia: 22 de novembro de 2013, sexta-feira – 10 horas da manhã –
Ponto de Encontro: Portaria do Edifício A Noite (Praça Mauá, 7)
Roteiro: Edifício A Noite – um patrimônio da arquitetura nacional – Rádio Nacional e da soberana Marlene – Praça Mauá e as metamorfoses com vistas às Olimpíadas e ao Porto Maravilha – Terraço do MAR (Museu de Arte do Rio) – os avanços em aterros sobre o mar – o túnel sob o morro de São Bento – a dinâmica da Rua Sacadura Cabral – Rua São Francisco da Prainha – Igreja São Francisco da Prainha – Pedra do Sal, um dos berços do samba, e de João da Baiana, o compositor que ensinou Marlene a sambar como a “Maior” tantas vezes proclamou.

Domingo no Centro do Rio

Dia: 24 de novembro – domingo – às 9 horas e 55 minutos
Ponto de Encontro: Alto do morro de São Bento – Rua Dom Gerardo, 40 – 5º andar
Roteiro: Mosteiro de São Bento (assiste-se a cinco minutos da missa com cantos gregorianos), Vista Panorâmica da Praça Mauá, Área Portuária e Baía de Guanabara, Av. Rio Branco, Largo de Santa Rita/Largo da Sardinha, Rua Teófilo Otoni de magníficos sobrados (e de Lamartine Babo), Av, Presidente Vargas, Igreja Nossa Senhora da Candelária (visita), Centro Cultural Banco do Brasil (intervalo de 20 minutos), Centro Histórico Beira-Mar e de testemunhos geográficos, Rua Buenos Aires, Beco das Cancelas, Rua do Rosário e dos toporreabilitados sobrados do Dr. Carlos Lessa, Rua do Ouvidor, Travessa do Comércio/ sobrado de Aurora e Carmen Miranda, Praça XV, Igreja do Carmo e da sagração de Dom João VI e de Imperadores, o toque vigoro so dos skatistas sobre o chão liso da Praça XV, Paço Imperial e de Isabel de Orleans e Bragança (somente maquete do Centro do Rio e janela da anunciação da assinatura da Lei Áurea)
Término: 14 horas

Roteiro Noturno no Centro do Rio a Pé

Dia: 27 de novembro de 2013 – quarta-feira – 20 horas
Ponto de Encontro: Jardins da Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro (esquinas de Praça Tiradentes com ruas da Carioca e Silva Jardim)
Roteiro: Iluminados prédios da Catedral Evangélica do Rio de Janeiro e Real Gabinete Português de Leitura – Centro Cultural Carioca – Igreja Nossa Senhora da Lampadosa – Av. Passos – Território da “Daspu” – Praça Tiradentes do Monumento a Dom Pedro I, dos teatros seculares e dos modernos hotéis – Lavradio dos antiquários e casas de shows de iluminação mutante – Quarteirão Cultural e do Rio Scenarium – Esplanada de Santo Antonio – Largo Braguinha – Mem de Sá dos sobrados exuberantes, samba de raiz, marchinhas, mambo, funk, rock, travestis e mitológica malandragem – Seculares e simbólicos Arcos da Lapa
Duração: 2 horas

Caminhando de Madrugada no Centro da Olímpica e Maravilhosa, Patrimônio Mundial da Humanidade

Dia: No primeiro minuto da madrugada do sábado 30 de novembro (ou seja, de 6ª. feira, dia 29, para o sábado, 30)
Ponto de Encontro: Degraus do Theatro Municipal, Cinelândia
Roteiro: Majestosos prédios do Theatro Municipal e da Biblioteca Nacional, O eterno Cine Odeon, Centro Cultural da Justiça Federal (antigo Supremo Tribunal Federal), o Boêmio Amarelinho, Câmara dos Vereadores/Palácio Pedro Ernesto, Metrô, uma sentinela luminosa a nos conduzir por lunares e ensolaradas Geografias – Av. Treze de Maio – Largo da Carioca, o diálogo do Rio Colonial com a Cidade Maravilhosa – Esplanada de Santo Antonio / Avenida Chile da Iluminada Catedral Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro – BNDES – Petrobrás – Ventura Towers – Rio Scenarium – Iluminação mutante, os pulsares e a multidão do Quarteirão Cultural da Rua do Lavradio

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui