Foto: Reprodução

Denis César Barros Furtado, conhecido como Doutor Bumbum, teve frustrada sua tentativa de ser candidato a vereador na cidade de Rio de Janeiro pelo Patriota. Ele não foi incluído pelo partido em sua nominata, a lista oficial com todos os candidatos de cada sigla. Doutor Bumbum teve o registro profissional cassado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e responde em liberdade pela morte de uma paciente durante uma bioplastia feita em seu apartamento.

Filiado desde 3 de abril de 2020, Doutor Bumbum teve a inscrição no Patriota aprovada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) dois dias depois. Nos últimos quatro meses, ele divulgou a pré-candidatura pelas redes sociais, inclusive usando a logomarca do partido.

O Patriota informa que realizou sua convenção no dia 3, quando definiu seus candidatos ao pleito de 2020, e Denis não consta da nominata”, diz a nota oficial do partido.

Eliane Cunha afirmou ao Jornal Extra que o ex-médico não será um dos candidatos do Patriota nem poderá tentar uma vaga em outro município, porque seu domicílio eleitoral é na capital. Ele também está impedido de tentar a sorte em uma outra sigla, já que o prazo legal para a troca de partido em ano de eleição já se esgotou.

Em julho de 2018, Doutor Bumbum foi preso pela morte da bancária Lilian Calixto, logo após um procedimento estético nos glúteos. Por decisão da Sétima Câmara Criminal, seis meses depois, sua prisão foi substituída por medidas cautelares, como a proibição de sair do Rio sem autorização judicial, enquanto ele aguarda o julgamento em liberdade.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui