Nefelibato Rio/ Foto: Divulgação

Moradores e turistas cadastrados no programa Eu Faço Cultura já podem resgatar 1.400 ingressos de seis espetáculos que serão realizados do Rio de Janeiro. As apresentações iniciaram no dia 2 de janeiro e o público terá oportunidade de assistir comédias e dramas de grande sucesso.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

Em formato de plataforma digital, o programa beneficia pessoas cadastradas em programas sociais, idosos, pessoas com deficiência, estudantes e professores de escolas públicas. Basta a pessoa ou entidade ser cadastrada ou se cadastrar no site.

Com uma proposta inédita no Brasil, o programa compra ingressos de produtores culturais ou fornecedores de cultura e os distribui a pessoas de baixa renda com subsídio total do governo federal.

O objetivo do programa é incentivar o mercado cultural no país, além de valorizar os artistas locais, proporcionando atividades culturais ligadas a diversas formas de arte para as pessoas sem acesso.

A ação já distribuiu mais de 193 mil ingressos de shows e espetáculos, mais de 34 mil ingressos de cinema e 37 mil livros e cds”. Apoiou também 387 produtores culturais em todo o país.

Lançado em 2006, há três anos o ‘Eu Faço Cultura´transformou-se em plataforma. Atualmente a iniciativa está presente em 26 Estados e no Distrito Federal.

É um projeto de inclusão social, que aproxima uma parte da população hoje afastada do consumo de cultura”, explica Moacir Carneiro, diretor sociocultural da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae).

Confira abaixo as atrações e as informações de cada um dos seis espetáculos oferecidos pelo “Eu Faço Cultura“.

Ricardo III – Um dos primeiros dramas históricos de William Shakespeare traz ao palco o ator Gustavo Gasparini. A peça mostra os bastidores da política, colocando em cena a imoralidade e a ambição desmesurada pelo poder. Em cartaz no Teatro Poeirinha (Botafogo), de 2 de janeiro a 16 fevereiro – quinta a sábado (21h) e domingo (19h).

Nefelibato – Monólogo com Luiz Machado narra a história de Anderson que tem sua vida abalada com o plano Collor, em 1990. Ele perde um ente querido e um grande amor, e vai morar na rua. Em cartaz no Teatro Cultural Municipal Sérgio Porto (Humaitá), de 10 de janeiro a 3 de fevereiro. Sexta, sábado e segunda (20h). Domingo (19h).

Festa, a Comédia – O menino Miguel está de aniversário e sua mãe contrata um artista para o palhaço da festa, mas ele comete alguns deslizes, causando muita confusão. Em cartaz no Teatro dos Quatro (Gávea), de 10 de janeiro a 1º de março. Sexta e sábado (21h). Domingo (20h).

Vale Night – Comédia agridoce leva à cena, de maneira leve, a pressão que a mulher sofre ao se tornar mãe e a solidão sentida, tornando-se uma figura calada e ofuscada nas redes sociais. Em cartaz no Teatro Glauco Gill (Copacabana), de 16 de janeiro a 21 de fevereiro, quinta e sexta (18h30).

Frida Kahlo, a Deusa Tehuana – A peça é uma interpretação livre do diário e da obra de Frida Kahlo. As dores físicas e existenciais da artista se vestem de cores, em vez do luto. Em cartaz no Teatro Maison de France (Centro), de 17 de janeiro a 16 de fevereiro, de sexta a domingo, às 19h.

Rugas – A partir de entrevistas e de livros sobre o tema do envelhecimento, o texto mostra uma gerontóloga que recebe a informação que sua mãe está muito doente e precisa ver a filha. Em cartaz no Teatro Glaucio Gill (Copacabana), de 18 de janeiro a 16 de fevereiro, sábado e domingo, às 18h.

Follow Me, Baby! – Com muito humor e um tanto de acidez Follow Me, Baby!, comédia de Ivan Jaf, conta a história de Laura (Rose Abdallah), uma atriz decadente, que volta a trabalhar em uma grande emissora de TV e recebe uma proposta do diretor de marketing, Cavalcante, tendo que optar entre a sua dignidade e a chance de finalmente conseguir estabilidade econômica. Em cartaz, no teatro Laura Alvim (Ipanema), de 15 a 31 de janeiro, às quartas e quintas, às 20h.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui