Pedro Paulo

No último grande momento da eleição para Prefeito do Rio de 2016, o debate da Rede Globo, houve de tudo briga, chamadas, senta lá candidata e com uma audiência altíssima. De acordo com Lauro Jardim/O Globo, o debate chegou a alcançar 23 pontos no IBOPE. Para efeito de comparação, é 25 vezes mais alto que o da Band e 5 vezes maior que o da Record. E, como já disse, isso tem o potencial de decidir  o cenário do 2º turno.

Não me resta dúvidas que o grande derrotado foi o candidato do PMDB, Pedro Paulo. Não bastando ter ido mal nas respostas que deu, sempre passando a imagem de quem decorou a fala, quis confrontar Marcelo Crivella (PRB) por 2 vezes, levando uma surra do “Bispo” como ele chamava o senador. Não tinha pulso, ou experiência, necessária para um debate com um mestre do púlpito.

Mas o pior momento, sem dúvida alguma, foi ter “caído na Marcelo Freixo (PSol) que disse que se Pedro Paulo tivesse coragem chamaria ele, Freixo, para ser perguntado. Idiotamente, o candidato do PMDB o fez, e ainda acusou um funcionário de Freixo, agora ex-funcionário, de ter batido na esposa… Logo o ponto mais fraco de Pedro Paulo, que vem sendo diariamente usado por seus adversários. E a resposta de Freixo foi excelente: “Eu exonerei. Ao contrário do Eduardo Paes, que pegou uma pessoas que bateu na mulher colocou como candidato“. Nesse momento Pedro Paulo podia pegar seu banquinho e ir para casa.

Quanto aos outros candidatos, não dá para dizer que houve um grande vencedor. Crivella foi bem no debate e pode ter subido alguns pontos na pesquisa,não o suficiente para ganhar a eleição no 1º turno mas não deslizou em nenhum momento.

Outro, o Freixo, apesar de ter tido um perfil mais agressivo que pode ter incomodado alguns, também conseguiu se mostrar e não deslizar. E para um candidato que teve apenas 11 segundos de Tv é quase vencer uma Olimpíadas.

Já Indio da Costa (PSD), o qual o Diário do Rio apoia, pode não ter brilhado como nos outros debates, onde teve uma postura mais combativa. Mas adotando uma estratégia de apresentar mais propostas e caminhar pela centro direita, pode ganhar os votos de Osório (PSDB) ,que não foi mal mas não brilhou, e do próprio Flávio Bolsonaro (PSC) que acabou sendo pouco perguntado e, porquê não, do próprio Pedro Paulo. Os eleitores destes candidatos podem querer evitar um 2º turno entre Crivella e Freixo, o que é um dos maiores horrores para a classe média.

E quanto a Jandira Feghali (PCdoB), o que falar dela? Foi querer atacar a Globo no começo do debate, levou uma chamada da Ana Paula Araújo, a mediadora, e ficou murcha no resto do tempo. Mas fez o jogo dela, campanha para deputada federal ou senadora em 2018, política destas coisas.

Já Alessandro Molon (REDE), pode não ter ganho o debate mas no Twitter arrasou corações de meninos e meninas.

E para você, quem ganhou e perdeu o debate?

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui