Pedro Rafael: Corona, e agora?

Foto: Pilar Olivares

No último artigo falamos sobre as possibilidades de um 2020 feliz e com boas esperanças, para nós cariocas e brasileiros.Em poucos dias o mundo parou, com o anúncio da pandemia e não sabemos ainda como será o resto do ano.

Em setembro de 2019 a própria OMS (Organização Mundial da Saúde) fez um alerta para a realidade de futuras pandemias, inclusive por gripes virais. Mas, com certeza, ninguém imaginou que seria tão rápida, e um crescimento tão imediato, também.

Entre tantas pandemias que atingiram a Humanidade, ressalto a Gripe Espanhola, ocorrida há 100 anos (1918-1919) que matou, pelo menos, 25 milhões de pessoas e seus relatos contam que ela começou e terminou de formas rápidas, não durando mais que dois anos.

Temos que utilizar a tecnologia a nosso favor mas, preferencialmente, sem fazer uso de histerias e fake news, seja pró ou contra algum grupo. Inclusive até nossos parlamentares, em Brasília, já estão iniciando votações à distância, justamente para evitar o contato entre eles.

No Brasil que este ano teremos eleições municipais, pairou-se a dúvida, entre muitos, se o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) manteria o calendário, mas, para qualquer alteração é necessária uma aprovação do Congresso e, certamente, no momento, este não é foco.

Os impactos econômicos no Brasil serão imensos e devemos buscar, juntos, as soluções possíveis, em prol que o empresariado não precise chegar ao extremos de demitir seus funcionários e, assim, criar uma catástrofe ainda maior. Inclusive já existem diversos grupos de empresários, políticos e lideranças da sociedade civil para mobilizar o que for necessário em prol de uma rápida solução da pandemia.

Apesar de toda a mobilização já feita pelos governos, em evitar a saída e permanência das pessoas nas ruas, parece que alguns ainda acham que tudo isso se trata de uma brincadeira e preferem ir à praia ou ficar passeando, precisamos de decisões mais enérgicas de nossos governantes!

Em tempos complicados que teremos pela frente, mas com esperanças de um futuro melhor, podemos e devemos cobrar mais transparência dos nossos governantes e gestores entretanto, em um momento como este deveríamos superar nossas intolerâncias políticas e buscar ajudar à nossa comunidade. O momento político chegará e, ali, poderão buscar a alterância ou permanência deseja, pelos próximos 4 anos.

Vale lembrar da importância de seguir as orientações oficiais periódicas e, principalmente, lembrar que se cuidar, é cuidar dos outros também.

Que 2020 seja então um ano de transformação positiva para todos e que possamos sair com o menor número de vítimas.

Corona, e agora? #ficaemcasa

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui