Pergunta ao Candidato – Quais as suas propostas para o esporte no Rio de Janeiro?

Volei O Rio de Janeiro respira esporte, é ciclovia, é a praia, são equipamentos esportivos moderníssimos como o Engenhão e, claro, as Vilas Olímpicas espalhada em comunidades carentes da cidade. Somada a isso tudo há a enorme chance de o Rio de Janeiro sediar uma olimpíada, que dependerá diretamente do próximo gestor. Por isso que uma das questões mais caras aos cariocas deveria ser sobre os esportes.

Deixaram de responder, além dos habituais, o candidato do PMDB Eduardo Paes (que já disse que não investirá em Vilas Olímpicas) e o candidato do PCB, Eduardo Serra, apesar de no último post uma eleitora dele ter reclamado da falta de sua respota.

Solange Amaral (DEM)

O esporte engloba questões muito importantes, como a inserção social. Enquanto pratica esporte, o jovem se afasta dos maus caminhos. Por isso, quero construir 25 vilas olímpicas, que atendam os cidadãos de comunidades carentes e formem atletas de ponta. Também pretendo ampliar os núcleos do Movimento de Esporte e Lazer, para atender cariocas de todas as idades.

Chico Alencar (PSol)

A Secretaria Municipal de Esporte e Lazer teve orçamentos decrescentes nos últimos três anos; foram R$ 341.722.816,00 (representado 4% do orçamento municipal em 2006), R$ 323.852.928,00 (3% em 2007) e R$ 93.999.679,00 (0,86% em 2008).  Tem uma estrutura modesta: 9 unidades, compreendendo as Vilas Olímpicas, o Centro Esportivo Miécimo da Silva e a Cidade da Criança.  Seus principais programas têm 363 núcleos nas APs 1 e 3, 337 núcleos nas APs 2, 4 e 5 e 10 núcleos itinerantes do Brincando na Praça.  Suas atividades e gestão de unidades estão terceirizados atualmente por federações esportivas que utilizam mão-de-obra cooperativada.  Implantaremos um novo modelo de gestão com a adoção de prévio procedimento seletivo público para a celebração de convênios com entidades sem fins lucrativos. 

Estabeleceremos a cooperação entre a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, a Secretaria Municipal de Saúde e a Secretaria Municipal de Educação, focando a prática esportiva escolar e o esporte amador, de massa, voltado para a promoção da saúde.  Um dos problemas das escolas municipais é a ausência de quadras para a realização das aulas de educação física e de práticas esportivas em várias escolas e a carência de material esportivo (bolas, redes, traves e tabelas de basquete).  Vamos resolver esses problemas e aproveitar a infraestrutura que ficou dos Jogos Panamericanos para realizar os Jogos Escolares da Cidade.

Vila OlímpicaVamos reequipar as praias, o Aterro do Flamengo e as praças e os espaços públicos da cidade com o equipamento necessário à educação física e às práticas esportivas, e promover atividades de cultura física sob a orientação de especialistas, sobretudo para a população das regiões mais abandonadas pelo poder público.

Vinicius Cordeiro (PTdoB)

Sou de uma família de desportistas; já fui dirigente de clube (America FC), onde aprendi e tive experiências da dificuldade de se apoiar a iniciação desportiva e mesmo a pratica de esportes amadores.

Inicialmente, entendo que a prefeitura deva privilegiar os clubes e agremiações desportivas da cidade, que já possuem o espaço adequado para abrigar projetos de iniciação desportiva, bem como ampliar o mercado do esporte. Uma boa idéia é compensar divida de IPTU desses clubes pela cessão de espaços e a implantação de um maior número de projetos que sejam mais adequados tecnicamente.

Outro diferencial em nossa proposta é ampliar o leque de esportes apoiados como o basquete, vôlei, handebol, alem do futebol.

Entendo ser perfeitamente possível ampliar um sistema de bolsas com universitários de educação física para trabalhar nos projetos, bem como técnicos das diversas modalidades.

Há também de se conservar as praças esportivas, e implantar novas quadras em logradouros públicos hoje abandonados ou  simplesmente mal cuidados. A
SMEL tem de ter um gerenciamento profissional, sem ingerência e a excessiva interferência política, como infelizmente se caracteriza a atual administração.

Filipe Pereira (PSC)

Esporte tem um papel importantíssimo. A Prefeitura tem que olhar para o setor não como negócio  puro e simplesmente, mas acima de tudo como um fator de inclusão social, seguindo a vocação do Rio de Janeiro.

Uma cidade com esta natureza poderosa, com estes espaços ao ar livre, são meios importantes para incentivar arenas, onde se possam praticar inclusão social e seguir a vocação do Rio de Janeiro.

A Prefeitura vai incentivar o setor e desenvolver ações que promovam esta inclusão.E parcerias para que nossos menores, através do esporte, possam  crescer e se desenvolver preparando um futuro diferente. Tanto para o Rio como para a sociedade  como um todo.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui