Pesquisa aponta segurança e conservação como principais problemas do Rio

A Zona Oeste do Rio de Janeiro é onde o principal problema dos moradores não é segurança ou conservação e sim o transporte público

Foto: Rafa Pereira - Diário do Rio

Dados da 2ª edição da Pesquisa de Avaliação do Governo Municipal do Rio de Janeiro, realizada pelo Instituto Rio21, em parceria com o DIÁRIO DO RIO, apontam que para os cariocas entrevistados os principais problemas de seus bairros são: segurança (52,0%); deformação e buracos nas ruas e calçadas/pavimentos (47,8%); e transporte público (31,5%).

Ao analisar as respostas por região de residência, percebemos que os respondentes de todas as localidades do Rio concordam que a falta de segurança e a deformação e buracos nas ruas e calçadas/pavimentos estão entre problemas mais significantes em seu bairro de moradia. No entanto, a situação do transporte público não é um consenso entre todos.

Por exemplo, para os moradores entrevistados do Centro, limpeza urbana é uma questão que demanda mais atenção do que transporte público. Cerca de 32,4% afirmaram que a falta de limpeza de ruas e calçadas é um dos principais problemas de seu bairro. Em contraste, apenas 4,0% declararam que o transporte público está entre suas maiores preocupações.

Já para os moradores da Zona Sul, o terceiro problema mais citado de seus bairros é a falta de manutenção de jardins, praças e mobiliários urbanos: 24,2% dos entrevistados apontaram para essa questão.

Agora, tanto para os residentes da Zona Oeste quanto para os residentes da Zona Norte, o transporte público é uma das áreas que a gestão municipal mais deixa a desejar.

No caso da Zona Oeste, o transporte público foi a questão mais citada pelos moradores entrevistados: 48,7% afirmaram que este é um dos principais problemas de seu bairro. O percentual alcançado por deformação e buracos nas ruas e calçadas/pavimentos e segurança foram bastante próximos: 46,4% e 45,6% respectivamente.

Por fim, falta de segurança foi o tópico mais mencionado pelos entrevistados da Zona Norte. Quase 60% indicaram essa questão como um dos principais problemas de seu bairro de moradia. Por sua vez, deformação e buracos nas ruas e calçadas/pavimentos e transporte público foram citados por 45,1% e 34,4% dos respondentes, respectivamente.

Confira mais informações sobre essa pesquisa nos links abaixo:

Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. As pesquisas são modeladas num corte seco: pergunta e resposta e muitas vezes parece que o resultado não atende. Parece que os 4% de desgosto dos moradores do Centro com o transporte sugerem que o Centro é o mundo perfeito. Talvez por que as pessoas alí precisem de deslocamento. Particularmente, quando eu me desloco para o Centro, os modais não são convergentes e o fluxo é muito demorado, seja na entrada ou saída. Na região, é como se as ruas internas fossem feitas de terra, muito lento. Acredito que uma rodada de pesquisas tentando obter informações da origem e destino das populações entre as regiões da cidade e o sentimento dessas pessoas possa mostrar um retrato mais completo das distorções do transporte me nossa cidade e como isso influi nas migrações internas e no interesse das pessoas em localização e serviços específicos. Afinal as ultimas pesquisas sobre nossa cidade não tem um bom resultado em linhas gerais.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui