Foto: Reprodução

Pesquisa realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) revela que, 20,7% dos empresários do setor de comércio e serviços do estado, acreditam que a situação de seus negócios melhorou nos últimos 3 meses. Mas no geral, a situação dos negócios dos empresários, que melhorava mês após mês, registrou a primeira queda neste mês de dezembro.

O número de comerciantes que acreditam que seus negócios estão estabilizados reduziu de 21,1% em novembro, para 19,7% em dezembro. Já os empreendedores que afirmam que o quadro do seu negócio piorou subiu de 28,5% no mês de novembro, para 29,8%, agora em dezembro.

Em relação as expectativas que os empresários fazem para os seus negócios nos próximos 3 meses, a variação foi negativa. A sondagem registrou aumento dos que acreditam que haverá estabilização – 30% em novembro, para 32% em dezembro. Para 40,9%, haverá aumento e 9,3% esperam um incremento significativo. De acordo com a Comércio-RJ, a redução da confiança na evolução da situação do próprio negócio tem a ver com a redução da confiança na evolução da demanda futura. 

Cerca de 71% dos empreendedores esperam que melhore ou melhore muito, no mês anterior esse percentual foi de 75,4%. Houve uma leve redução na proporção de empresários que acham que vai piorar ou piorar muito, de 13,3% em novembro, para 12,3%. Portanto, aqui também houve redução do otimismo para os próximos três meses em relação ao próprio negócio, segunda queda consecutiva.

Sobre a contratação de trabalhadores, a pesquisa aponta que para 44,9% o quadro foi estabilizado. Apenas 4,2% informaram que existiu um aumento significativo. Nos últimos três meses a quantidade de empresários dizem que o número de colaboradores em suas empresas aumentou caiu de 6,9% para 4,2%.

O índice de inadimplência também mudou. Ocorreu diminuição no percentual de empresários que responderam que não estão inadimplentes: 39,2% frente a 46,9% em novembro, contra 22,2% que afirmam que suas empresas estão moderadamente inadimplentes, seguidos por 27,2% que informaram que seus negócios estão com poucas restrições. Os que se consideram muito inadimplentes correspondem a 11,4%. Os fornecedores lideram o ranking de inadimplência com 44,7%; seguidos pelo aluguel, com 35,5%, bancos comerciais, que representam 31,7% e a conta de luz que apresenta o percentual de 28%, entre outros.

A pesquisa foi realizada entre os dias 03 e 06 de dezembro e contou com a participação de 594 empresários. O objetivo é acompanhar e avaliar o comportamento dos empresários do comércio de bens, serviços e turismo do estado do Rio de Janeiro.

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui