Senador Marcelo Crivella (PRB-RJ)

Plenário do Senado

Quem ganha com a provável saída de Romário (PSB), envolvido com problemas devido a uma conta na Suíça e de Pedro Paulo (PMDB) que bateu na esposa por duas vezes, é o senador Marcelo Crivella (PRB) é o que mostra pesquisa GPP feita entre os dias 5 e 6/12 e divulgada hoje na newsletter do vereador Cesar Maia (Democratas).

A pesquisa procurou avaliar os nomes alternativos ao PMDB e a Romário e também incluiu o nome de Maia, apesar deste já ter dito que será candidato a reeleição a vereador.

Já adianto que não foi incluído o nome de Jair Bolsonaro (PP) mas temos de levar em conta que ele ainda não saiu do atual partido, ou seja, por enquanto não é um nome viável.

Quadro com 5 nomes mostra Crivella bem na frente

Cesar Maia

No primeiro quadro Crivella e Marcelo Freixo (PSol) iriam para o 2º turno, mas com ampla vantagem para o bispo da Universal mas Freixo está empatado tecnicamente com Maia, veja:

  • Crivella – 26,4%
  • Freixo – 11,3%
  • Cesar Maia – 11,1%
  • Jandira Feghali (PCdoB) – 4,8%
  • Alessandro Molon (REDE) – 3,5%

A força maior de Crivella está na Zona Oeste, onde sobe para um nível de 30%. Freixo cresce na área litorânea, mas, especialmente na região que vai do Centro, Tijuca, Santa Teresa, Vila Isabel, Grajaú, Andaraí…, com 22%. Jandira (7,7%) e Molon (5,8%) só na região Litorânea. Cesar Maia sobe na Zona Oeste para a faixa dos 15%. Crivella e Maia somam quase 50% das intenções de voto na Zona Oeste.

Crivella e Freixo fariam o 2º turno em cenário pulverizado

Marcelo Freixo

Sem o nome de Maia e Jandira, mas incluído outros parlamentares há apenas oscilações nos nomes de Crivella que vai para 28,3%, Freixo para 11,6% e Molon para 3,9%

Nesse cenário pulverizado, com os nomes de Otávio Leite (PSDB), Clarissa Garotinho (PR), Índio da Costa (PSD), Leonardo Picciani (PMDB) e Rodrigo Maia (Democratas), ninguém se destaca, ficando  todos entre 2% e 3%.

Crivella, na Zona Oeste, passa para 35% e Freixo, sem Jandira, cresce na região litorânea para 15,2%, mantendo seus 22% do Centro em direção à Tijuca.

52,4% dos cariocas não votariam em Eduardo Paes

Eduardo Paes

Apesar de gastar os tubos em publicidade, ter o carinho de quase toda a mídia e estar inaugurando várias obras do Rio 2016, o prefeito Eduardo Paes (PMDB) não está conseguindo refletir isso em popularidade.

De acordo com o GPP se Paes pudesse ser candidato a prefeito novamente apenas 26,8% votariam nele e 52,4% não votariam. Paes só venceria “outro candidato qualquer” na região Meier-Madureira.

A avaliação do prefeito lhe dá 26,8% de ótimo+bom, 32,2% de ruim+péssimo e 39,8% de regular. Esta avaliação é a mesma de maio de 2015 e semelhante a abril de 2014. A mudança de patamar ocorre desde as manifestações a meados de 2013, e entre 2014 e 2015 se estabilizaram neste patamar de agora.

A avaliação positiva ultrapassa a negativa na regiões litorânea e Centro, Tijuca, etc. Na região Meier-Madureira há uma equilíbrio. A pior na faixa das favelas da Zona Norte.

78,9% dos cariocas não votariam em um candidato do PT

PTdecadente

A situação está péssima para os partidos no Rio de Janeiro, na mesma pesquisa foi perguntado se o carioca votaria ou não em um candidato dos principais partidos do Brasil, e a pior situação ficou com o PT, 78,3% não votariam em um candidato do , sim 16%.

Se fosse o PSDB, 61,2% não votariam em um tucano, e 28,5% sim. Já no PMDB de Paes e Pezão a situação é parecida, não 63,6%, sim 25,8%.

77,2% dos cariocas não votariam em candidato do Lula

LULA/DIPLOMACIA

É melhor os candidatos a prefeito correrem do ex-presidente Lula (PT), no GPP 77,2% dos cariocas não votariam em um candidato dele, contra 16,7% que votariam. O apoio do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) não vale grande coisa, são não 76,4%, sim 14,9%.

O apoio de Paes também não está essa Coca-Cola toda, especialmente se lembrar que ele ainda apoia Pedro Paulo que faz traço e ainda tem a história de violência contra ele. 59,1% dos cariocas não votariam em um candidato do prefeito, contra 33,7% que votariam.

Situação parecida daquela que já foi imaginada como a grande eleitora do Rio de Janeiro, Marina Silva (REDE), tem não 54,2%, sim 36%. Mas é uma boa notícia para Molon, que com apoio de Marina pode garantir uma vaga no 2º turno.

82% não querem ver Sergio Cabral prefeito do Rio

Sergio Cabral

O PMDB já pode desistir de seu Plano B, os cariocas não querem nem saber de Sergio Cabral (PMDB) prefeito do Rio de Janeiro. Na pesquisa o altíssimo número de 82% diz que não quer Cabral prefeito do Rio, enquanto 18% diz que poderiam votar nele.

Mais de 50% lembram corretamente dos problemas de Pedro Paulo e Romário

Encontro-de-Paes-Delcídio-Romário-e-Pedro-Paulo-foi-após-revelação-de-agressões-do-secretário-à-ex11-1024x488

É melhor o PMDB não apostar na desinformação característica do brasileiro para continuar com Pedro Paulo candidato, o mesmo valendo para Romário no PSB.

Em respostas espontâneas 54,3% responderam corretamente sobre quais os problemas que envolvem no noticiário o secretário Pedro Paulo e candidato do prefeito. 38,3% não se lembram e 7,4% erraram.

Sobre quais os problemas que envolvem no noticiário o Senador Romário 43,7% responderam corretamente 54,2% não se lembram.

E, levando em conta a audiência, até que o especial da Record, “Rio de Lama”, atingiu bastante gente, 33,5% tomaram conhecimento, enquanto 66,5% não ouviram falar.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui