Marcelo Crivella, atual prefeito do Rio - Foto: Reprodução

Crivella pode ter ganho o apoio de Bolsonaro no 1º turno, mas isso não significa que ele pode comemorar muito. A PGE (Procuradoria Geral Eleitoral) pediu nesta 3ª feira (27.out.2020) ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que mantenha o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), inelegível. A manifestação foi assinada pelo vice-procurador geral da República, Humberto Jacques de Medeiros.

A defesa do prefeito recorreu ao TSE e, em 13 de outubro, Campbell concedeu uma decisão liminar (provisória) que suspendeu a inelegibilidade do prefeito. É essa decisão que a PGE quer revogar. Caso o relator não mude o entendimento, a Procuradoria pede que o caso seja levado ao plenário do TSE.

Segundo a PGE, não é possível conceder uma liminar que suspenda a decisão do TRE-RJ. O órgão argumenta que existem suficientes elementos de provas para a condenação.

Crivella é acusado de usar, em 2018, funcionários e estrutura da estatal Comlurb em evento de campanha de seu filho Marcelo Hodge, então candidato a deputado federal. Os trabalhadores foram levados ao encontro em carros da companhia, durante o horário de expediente

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui