Rodrigo e Cesar Maia
Reprodução: Internet

Foi pedido ao Supremo Tribunal Federal (STF), pela Procuradoria-Geral da República (PGR), o arquivamento de um inquérito sobre pagamentos da Odebrecht ao deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ) e a seu pai, o vereador Cesar Maia (DEM-RJ).

De acordo com a Procuradoria-Geral da República, não foram reunidos quaisquer elementos de prova que demonstrem o efetivo repasse dos valores indevidos aos investigados.

A Sub-Procuradora Geral da República Lindôra Araújo afirmou que inquérito não tem provas suficientes para justificar acusação. A Polícia Federal (PF) cita registros em ‘planilha’ da Odebrecht e visita de Rodrigo Maia à empreiteira na cidade do Rio de Janeiro.

A PF havia concluído a investigação em agosto de 2019, imputando a Rodrigo e Cesar Maia os crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica eleitoral (caixa dois). A equipe do procurador-geral da República Augusto Aras discordou do relatório da PF e apontou que não havia provas suficientes para apresentar denúncia contra eles.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui