Um levantamento feito pela Secretaria de Fazenda do Estado, cujo secretário é Joaquim Levy, mostra o tamanho do rombo aberto nas contas públicas pelo crescimento dos dispêndios no quadriênio em que o Estado foi governado por Rosinha Garotinho (PMDB), ou seja, 2002-2006. Juntos, TJ, MPE, Alerj e TCE gastaram, em 2006, R$ 4,370 bilhões, contra R$ 3,934 bilhões em 2003 (todos os números do perí­odo foram corrigidos pelo IPCA). O Judiciário consumiu 61 85% do dinheiro gasto pelas quatro instituições juntas, no ano passado: R$ 2,703 bilhões. Deles, R$ 670 milhões foram para custeio e investimento. O estudo mostra que os quatro órgãos juntos, de 2003 a 2006, destinaram para custeio e investimento R$ 865 milhões.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui