Foto: Wikimedia Commons/www.vperemen.com

Não é tempo de poesia,
Gota de chuva tenra que
Pinga na pedra quente e
Que o vento solar logo
Dissipa,

Secura, loucura, pandemia,
Não é tempo de poesia,
Menos ainda de filosofia,
Não é tempo de planejar
Viver

Apenas de morrer,
Então não é tempo
De esfriar a cabeça
De relaxar, é tempo
De Pandemia.

Não relaxe, não seja eloquente
Apenas respire ar puro,
Livre de poeira, livre
De textura, inale corona vírus
Como se fosse uva passa,
Até o tempo passa

Sua pele hoje, menina é como uma uva,
Um pêssego, mas cuidado, uva passa.
Carpe diem, aproveite o dia, ou melhor
Nem aproveite com moderação.

(D.R. Rio, 03/2021)



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui