Polícia Civil do Rio ganha Agência de Inteligência para combater a criminalidade

A Agência é subordinada à Subsecretaria de Inteligência da instituição e será chefiada pelo delegado Fernando Albuquerque

Cláudio Castro inaugura Agência de Inteligência da Polícia Civil / Divulgação

O governador do Estado do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), inaugurou, nesta sexta-feira (25/03), Agência de Inteligência, atrelada à Polícia Civil, com a finalidade de concentrar a produção de conhecimento e informações contra a criminalidade. A Agência é subordinada à Subsecretaria de Inteligência da instituição e será chefiada pelo delegado Fernando Albuquerque.

Durante o evento, o governador ressaltou todo o esforço feito pelas autoridades estaduais para a estruturação da Segurança Pública fluminense, além de desenvolver processos de valorização dos profissionais que trabalham na instituição.

“Esta gestão tem dado uma valorosa contribuição à Polícia Civil. Este prédio é mais uma delas e mostra o quanto voltamos a investir, não apenas em tecnologia para investigações, mas também em estrutura para os nossos profissionais, que tanto têm nos ajudado a construir uma sociedade mais segura”, declarou o governador.

A Agência de Inteligência contará com diversos departamentos para tomadas de decisão, além de equipamentos de última geração no combate ao crime, como o Cellebrite, software israelense destinado a recuperação de mensagens ou imagens apagadas em qualquer equipamento eletrônico. O Cellebrite foi usado no caso Henry Borel e ajudou a polícia a elucidar a rotina de tortura psicológica e violência doméstica as quais a criança, que morreu assassinada, estava submetida.

As atividades desenvolvidas pela Agência de Inteligência atenderão também às demandas do Ministério Público e do Poder Judiciário, que poderão requerer interceptações telefônicas e telemáticas, por exemplo.

O secretário de Polícia Civil, Allan Turnowski, falou sobre como a Policia Civil vem trabalhando para ter a sua credibilidade institucional resgatada. Turnowski ressaltou ainda todo o trabalho que tem sido feita para combater a atuação da milícia no Rio.  

“Desde o primeiro dia assumi o compromisso de ressignificar a Polícia Civil e devolver o respeito que a instituição parecia haver perdido. Com o apoio do governador Cláudio Castro, a Civil do Rio voltou a ser respeitada e trabalha para elucidar todo tipo de crime. Temos executado operações complexas com êxito e a maior prova disso é a FT-1000, força-tarefa que já prendeu mais de mil milicianos e causou prejuízos de mais de R$ 2,5 bilhões ao crime organizado”.  explicou Allan Turnowski.

O governo do estado investiu aproximadamente R$ 25 milhões na construção da sede da Agência de Inteligência, onde funcionará a Escola de Inteligência e onde serão formados ou aperfeiçoados os profissionais da área. O Disque-Denúncia também ocupará o prédio da Agência, que terá uma representação junto ao Sistema Brasileiro de Inteligência.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui