Foto: Divulgação Polícia Civil

Policiais civis da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) e do Departamento-Geral de Polícia Especializada (DGPE) deflagram, nesta terça-feira (06/07), a Operação Socó. Os agentes cumprirão dez ordens judiciais de busca e apreensão contra pessoas envolvidas no financiamento, construção e licenciamento irregular de um prédio de sete andares e 33 apartamentos no município de Saquarema, na Região dos Lagos, com valor estimado de R$ 20 milhões. A suspensão das atividades do empreendimento também foi decretada.   


A operação aconteceu na capital do Rio de Janeiro; em Queimados, na Baixada Fluminense; e em Saquarema. Os agentes coletaram provas dos crimes de parcelamento irregular de solo urbano (construção irregular), falta de licenciamento ambiental, advocacia administrativa, fraude em licenciamento ambiental, corrupção ativa e passiva, associação criminosa e lavagem de dinheiro, constatados durante investigação da DPMA. A apuração começou após a interdição, no ano passado, de dois prédios residenciais em construção no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste da capital.

Os agentes também apuram se existe o envolvimento de milicianos que atuam no Recreio dos Bandeirantes e migraram para a Região dos Lagos com o objetivo de investir em empreendimentos semelhantes.

O nome da operação faz alusão à ave socó, que habita a lagoa de Saquarema.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui