Divulgação: Polícia Civil

A Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), cumpriu nesta quarta-feira (16/02), na sede da empresa Ingresso Certo, a primeira ação de sequestro e indisponibilidade de bens dos valores recebidos com a venda de ingressos para a festa “Fresh Day Party“.

Para a DRCI, que realizou monitoramento das redes sociais para coibir eventos e aglomerações durante o Carnaval, este foi o primeiro de uma série de pedidos formulados pela delegacia para bloquear valores obtidos com a venda de ingressos para festas e eventos realizados de forma irregular, atacando diretamente o braço financeiro dos organizadores.

Outros eventos estão sendo monitorados. Após identificados, os organizadores podem ser criminalmente responsabilizados por infringir determinação do poder público destinada a impedir a propagação da Covid-19.

Aglomerações no carnaval

Desde sábado (13/02) foram registradas festas, com aglomerações em todos os dias do carnaval no Rio. Na madrugada desta quarta-feira (17/02), diversas pessoas foram flagradas juntas e sem máscara na Barra da Tijuca, na Cidade de Deus e, em Curicica, na Zona Oeste, na Lapa, no Centro, e na Zona Sul.

As irregularidades extrapolaram os limites terrestres e avançaram sobre o mar. Até esta terça-feira (16/02), 63 embarcações foram impedidas de zarpar, pois abrigariam festas na zona costeira. Também na terça, um bar foi interditado no Vidigal. Durante a madrugada até o início da manhã, a região abrigou festas em locais diversos.

2 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui