Imagem meramente ilustrativa (Foto: Reprodução Internet)

Policiais civis prenderam num motel em Campinho, Zona Norte da Capital Fluminense, uma mulher acusada pelos crimes de associação criminosa e falsidade ideológica. Ela era chefe de um esquema criminoso que vendia doações de cabelos humanos que seriam usados na ajuda do tratamento contra o câncer em mulheres.

Durante a última semana, os agentes cumpriram mandados de busca e apreensão nas lojas do esquema ilegal, na residência dos envolvidos e em ONGs. Os policiais apreenderam aproximadamente meia tonelada de cabelos humanos, documentos, dinheiro, computadores e celulares. A prisão ocorreu na terça-feira passada.

De acordo com os agentes, após trabalho de monitoramento e cruzamento de dados, as investigações apontaram que a acusada comandava uma associação criminosa responsável pelo desvio de cabelos humanos doados para organizações sociais apoiadoras de mulheres com câncer. 

Os acusados recebiam os cabelos das ONGs e confeccionavam perucas, mas poucas eram efetivamente revertidas para doação, já que grande parte era direcionada e comercializada em lojas de propriedade da associação criminosa.

Estima-se que o negócio fraudulento rendeu milhões de reais, inclusive, com atividades no exterior, por meio de uma loja em Miami, na Flórida, Estados Unidos. 

As investigações continuam para apurar a participação de outros envolvidos e a prática de outros crimes associados.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui