Foto: Reprodução Print (Extra)

Policiais da 56ª DP (Comendador Soares) prenderam na manhã desta quinta-feira (26/03) dois homens suspeitos de liderar um grupo que planejava saquear estabelecimentos comerciais no Rio. Segundo a polícia, Maykon Pennafort de Souza, conhecido como chefão, e Hugo dos Santos Pedroza fazem parte de um grupo no WhatsApp que programava ataques a supermercados e lojas de departamento na região metropolitana do Rio durante as medidas de enfrentamento ao Coronavírus. A investigação contou com informações de inteligência de Subsecretaria de Inteligência (Ssinte). A informação foi publicada primeiramente no site do Jornal Extra.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

De acordo com a reportagem do portal, os dois presos são camelôs que atuam nos ramais de trem de Japeri e em ruas do Rio. Levados para a delegacia, eles admitiram a intenção de participar de saques em mercados caso não conseguissem dinheiro com a atividade informal que desempenham. A polícia obteve um vídeo gravado por Maykon no qual ele diz:

A tropa tá toda aí. Nós vai (sic) quebrar é tudo, pegar tudo. Só vagabundo revoltado. Tá maluco? Tá nessa aí? Tá pensando que o bagulho é brincadeira? É só camelô cheio de ódio”, diz o autor do vídeo, filmando dezenas de homens em um vagão de trem.

Na última segunda-feira, policiais da 55ª DP (Queimados) já havia prendido Anízio Michel Ferreira da Silva, o Michelzinho, também suspeito de integrar o grupo. As investigações contaram com o apoio da Subsecretaria de Inteligência (Ssinte). Os policiais descobriram que foi criado um grupo no WhatsApp no último sábado, denominado “Só Saque”, no qual eram trocadas mensagens planejando as ações.

“Papo pra geral, mano. Vamos começar disfarçado de protesto. Estamos aguardando as ordens. Mas o papo é esse ái mesmo. Faz uma faixas de papelão, coisa rápida com tinta branca e finge que nóis (sic) tá na rua como, protestando. Na verdade, daqui a pouco aquela multidão se espalha, saqueando tudo quanto é mercado que vir no caminho”, diz um homem em um dos áudios aos quais o jornal teve acesso.

Geral sabe que é só rango, nenhum aparelho doméstico. Não crescer o olho em nada. Bagulho é só rango que aí Deus vai tá como, com nós mesmo”, afirmou um homem em outra gravação.

Maykon e Hugo foram autuados por incitação ao crime e associação criminosa. A 56ª DP possui um WhstApp para a realização de denúncias (21 98596-7238). O anonimato é garantido. As investigações continuam para identificar outros integrantes do grupo.

2 COMENTÁRIOS

  1. CONCORDO PLENAMENTE !!! ANTIGAMENTE O POVO ERA MUITO MAIS POBRE, NINGUEM AJUDAVA EM NADA, NAO TINHA BOLSA, NEM 0800… E TUDO MUNDO VIVIA HONESTAMENTE !!! AGORA OS VAGABUNDOS SE ESCONDEM ATRÁS da pobreza …

  2. Tem que prender e dar uma surra bem violenta
    Não estud. Não quer saber de nada. Arruma filho cedo sem condições de criar a si próprio.
    Esse é o perfil do vagabundo

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui