Neste ano, elegemos duas pessoas ao Senado Federal. Dentre os quatro candidatos mais cotados, dois se apresentam à direita e dois se apresentam à esquerda do espectro ideológico eleitoral. Chico Alencar desponta não apenas como um forte candidato de esquerda, mas também como uma segunda opção para quem valoriza a ética na política e está com seu segundo voto indefinido.

Reiterando a fala do Quintino Gomes Freire, relembro as pessoas que leem o Diário do Rio que nossa representação no Senado, enquanto estado, tem sido muitas vezes desqualificada, com senadores coadjuvantes que acumularam votos e ganharam eleições sem nenhum traquejo político, apenas por fama pessoal. É preciso compor o Senado com dois nomes fortes, de experiência na política e na administração pública. Chico Alencar, com certeza, é um deles!



Chico está terminando seu quarto mandato como Deputado Federal, sempre pautado pela ética, honestidade e compromisso com o povo. Ao longo dos anos, apresentou mais de uma centena de projetos de lei, e diversas propostas de emendas constitucionais, decretos e resoluções. Sua atuação é prolífica, com atuação em comissões externas que trataram de pautas diversas como: Direitos Humanos, Meio Ambiente, Cidadania, Legislação Participativa. Também esteve ativo em eixos temáticos como a crise de desvios de verbas para a Saúde, o acompanhamento da reconstrução da Região Serrana do Rio, a destinação dos royalties no Rio de Janeiro e a crise fiscal que acomete nosso estado.

Sempre combativo, Chico não cedeu às políticas de alianças espúrias. Foi membro fundador do PSOL, retirando o apoio ao governo do PT em 2005, face a denúncias de corrupção e proposta de reforma previdenciária que prejudicaria a classe trabalhadora. Denunciou, de forma crítica, a extrapolação de gastos públicos com megaeventos como Copa do Mundo e Olimpíadas, enquanto políticas públicas sociais continuavam sucateadas.

Além disso, Chico Alencar faz campanha com suas suplentes, Vanderléa e Dodora. Vanderléa Aguiar é originária da Baixada Fluminense: mulher negra, mãe, educadora infantil e popular, além de evangélica. Maria das Dores Mota, a Dodora, é professora aposentada e oriunda de Volta Redonda. Ambas representam o grande espectro de representatividade do Estado do Rio de Janeiro. Ao fazer campanha com suas suplentes, ou co-senadoras, Chico apresenta de forma transparente quem estará governando com ele e quem o sucederá em caso de ausência ou eleição para outro cargo. À época em que Crivella foi eleito, alguém tinha noção que parte de seu mandato seria ocupado por Eduardo Lopes? Aliás, quem é Eduardo Lopes?

Chico Alencar não é um amador que surgiu ontem na política. Meu voto vai para alguém que está, há anos, trabalhando pelo Rio de Janeiro. Meu voto vai para quem é coerente em suas pautas, e age por princípios éticos. Por isso, meu voto é 500!

Para conhecer mais sobre Chico e suas propostas, visite www.chicoalencar.com.br

Luiz Coelho é planejador urbano, sacerdote anglicano e artista visual. Tem formação em Engenharia Cartográfica (IME), mestrado em Informática (UFAM) e é doutorando em Planejamento Urbano e Regional (UFRJ). Também é formado em Teologia pelo SETEK, com doutorado em liturgia por Sewanee: the University of the South. É servidor público municipal, atualmente lotado no Instituto Pereira Passos e serve a Paróquia Anglicana São Lucas, em Copacabana. É membro filiado ao PSOL.

3 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui