Foto: Divulgação

O Canal de Cotunduba (conhecido por Canal Varrido), principal acesso aquaviário ao Porto do Rio de Janeiro para navios de grande porte, terá uma nova sinalização náutica. A previsão é de que o novo sistema esteja funcionado em 3 meses.

O novo balizamento promete uma navegação mais segura e eficiente das embarcações, especialmente no período noturno, viabilizando assim as operações de carga durante a noite.

Cada vez mais, o Shopping Paço do Ouvidor se fortalece como ponto de encontro no Centro do Rio. Passa no Paço.

O projeto prevê a inclusão de equipamentos que fornecerão informações precisas para os navios sobre o posicionamento das boias. Foram analisados também a novo traçado geométrico do canal e as condições ambientais do local. Além do alargamento do canal e de uma maior precisão na delimitação, haverá um ganho em inovação tecnológica e a redução dos custos de manutenção.

Os últimos detalhes da versão final do projeto foram discutidos no último dia (19/09), na sede da Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), durante reunião do Grupo de Trabalho formado por representantes da CDRJ, da Marinha do Brasil (MB), da Praticagem e dos Terminais de Contêineres. O trabalho, elaborado pela empresa de assessoria técnica Precursore, considerou as normas vigentes da MB, responsável pela segurança do tráfego aquaviário na Baía de Guanabara. O próximo passo será justamente a apreciação e a aprovação do projeto pela Autoridade Marítima (AM), pois em virtude das alterações propostas no balizamento, será necessária a atualização das cartas náuticas.

Segundo o Gestor do VTMIS (Sistema de Gerenciamento e Informação do Tráfego de Embarcações) do Porto do Rio de Janeiro, Marcelo Villas-Bôas, “a expectativa é de que o processo seja rápido e que o novo balizamento já esteja estabelecido em cerca de três meses. ” Villas-Bôas explica ainda que, “para um calado operacional máximo de 15,85m, será possível a navegação segura, no Canal de Cotunduba, de navios maiores com até 349m de LOA e 48,5m de boca, o que vai gerar mais dinamismo e rentabilidade para as operações dos terminais conteineiros. ”

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui