Foto: Divulgação

Um posto desativado da Polícia Militar se transformou em biblioteca comunitária com mais de 10 mil livros de diferentes gêneros literários. A Biblioteca Marginow foi inaugurada durante a pandemia da Covid-19 pelo escritor Jessé Andarilho, cria da comunidade de Antares, zona Oeste do Rio, que quis mostrar aos vizinhos que os livros podem transformar vidas.

O local, até então marcado por intensos tiroteios, passou a ser área de lazer e incentivo à música, dança e ao esporte. O projeto também abriga o Polo Cinematográfico de Antares, o POCA e vai passar a contar também com o Estúdio Marginow para levar música à poesia, dar oportunidade aos talentos locais e profissionalizar os trabalhos. No canal do YouTube da Marginow Oficial é possível conferir alguns vídeos culturais como clipes, poesias, filmes, rap, funk e muito mais.

O objetivo dessa iniciativa é a formação de leitores, escritores, músicos e cineastas periféricos, para que a periferia possa narrar sua própria história, através das telas, dos livros, fazendo com que os moradores se identifiquem e tenham o sentimento de pertencimento. A ideia é despertar vocações, habilidades e oferecer ferramentas que permitam florescer novos talentos.

“A ideia surgiu porque durante a pandemia as pessoas diziam ‘fique em casa’ e ‘trabalhe em home office’, mas eu sabia que as pessoas aqui da favela onde eu morava nem televisão tinham. Ficar em casa fazendo o que? Então, a gente teve uma ideia de fazer uma biblioteca, usando a parte de fora que é bem arejada, de um posto policial desativado há algum tempo”, conta Jesse.

A pandemia acabou sendo o start desse projeto, mas a ideia é continuar levando cultura e atividades que possam entreter as pessoas, não só nesse momento, mas perpetuar essa área de lazer na favela de Antares.

“Nosso maior público hoje são as crianças e são elas o futuro do nosso país. Muitas pegam os livros para lerem em casa e é gratificante saber que a semente está sendo plantada”, comenta a voluntária Mila Pedrazza.

A secretaria de estado da Polícia Militar informou que a antiga base do Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) de Antares está em processo de desmobilização e que o comando do 27º BPM de Santa Cruz autorizou que o espaço fosse utilizado para o funcionamento temporário de um centro cultural comunitário. O policiamento ostensivo na região, segundo a PM, continua sendo feito regularmente.

Por fim, a maior dificuldade hoje é obter recursos financeiros para manutenção das ações e também para que seja possível remunerar aqueles que trabalham, diariamente, para levar cultura, entretenimento e oportunidades a tanta gente. Quem puder ajudar com doações de livros ou qualquer outra ajuda é só entrar em contato através do instagram @bibliotecamarginow ou @marginowoficial.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui