A Prefeitura do Rio terá que construir áreas de lazer para cães em novas praças ou em espaços reformados / Reprodução: Internet

A relação entre humanos e animais sempre foi estreita e benéfica para ambos. Pensando no bem dos nossos mais fiéis amigos, os vereadores Dr. Gilberto (PTC), Dr. Marcos Paulo (PSOL) e Vera Lins (Progressistas), elaboram o Projeto de Lei 1650/2019, que determina a criação de áreas de lazer destinadas a cães sempre que praças públicas forem construídas ou reformadas pela Prefeitura do Rio. Apelidado pela população de “Parcão”, nesse espaço não será permitida a entrada de animais desacompanhados, bravos, no cio ou portadores de doenças infectocontagiosas.

O vereador Dr. Gilberto (PTC) destaca, na justificativa do PL, que a população assimilou a existência das áreas de socialização para cães, como sendo de grande relevância para a saúde e o bem estar mental e emocional dos animais. “É perceptível que os espaços já criados e destinados para cães estão atendendo os interesses da população, visando uma melhor qualidade de vida”, disse o vereador. Segundo a proposta, caberá ao Poder Executivo definir as dimensões e o material utilizado para a construção do espaço.

2 COMENTÁRIOS

  1. Pela lei, cães não podem andar soltos, e os donos são obrigados a catar os dejetos, basta ter fiscalização. Cães que estão na “corrente” ou guia não podem ameaçar ninguém já que estão presos, basta não chegar perto. Não se pode obrigar ninguém a frequentar determinado lugar.

  2. Não adianta se construir parcões, sem a obrigatoriedade dos donos de pets usufruírem destes.
    Temos várias praças no Rio de Janeiro (como na N. Sra. da Paz, Lagoa Rodrigo de Freitas, etc), onde os cães andam soltos ou com corrente, “ameaçando” crianças e fazendo suas necessidades sem que seus donos as limpem, fora das áreas delimitadas para tal.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui