Eduardo Paes / Reprodução Instagram

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM) anunciou, nesta terça-feira (12/01), durante uma transmissão ao vivo pelo “Instagram”, que será publicada uma resolução nesta quarta-feira (13/01) para definir regras para controlar a infecção de covid-19 no município.

Eduardo destacou que as novas regras serão aplicadas de acordo com a situação da epidemia em cada Região Administrativa (RA), seguindo graus de qualificação quanto ao risco de contaminação por Covid-19: nível moderado, nível alto e nível muito alto. O prefeito ressaltou que, por enquanto, nenhuma região da cidade está com nível alto de contaminação.

Os novos protocolos sanitários, segundo Paes, serão elaborados em parceria com integrantes do Governo do Estado, para que as pessoas sigam regras unificadas, e os poderes públicos realizem ações direcionadas e integradas, inclusive para definir como funcionará a rotina comercial e de lazer da cidade, seja em espaço público ou privado.

“A gente vai buscar numa resolução conjunta dos secretários de Saúde do município e do estado para organizar esses padrões de comportamento, inclusive para atividade comercial. (…) [Se] está em um nível moderado, pode isso. Parque público pode aquilo. (…). A gente organiza isso para ficar mais claro para a população. É um esforço de comunicação grande.”, disse Paes em sua transmissão.

O Eduardo Paes destacou a importância do engajamento da população no combate à pandemia. “É impossível para a Prefeitura ficar fiscalizando todo mundo, o tempo todo. É importante que as pessoas se conscientizem que não dá para ficando fazendo aglomeração. (…) É preciso que as pessoas segurem a onda”, disse Paes. Ele disse também que a Prefeitura deve intensificar as ações de conscientização nesse final de semana na orla da Zona Sul, do Rio, para tentar conter as aglomerações. Caso a população não ajude, essas áreas de lazer podem ser fechadas novamente.

Ele reafirmou ainda que não pretende fazer os fechamento de quaisquer estabelecimentos comerciais, pois isso acarretaria mais prejuízos econômicos ao já combalido comércio carioca.   

Na live, Prefeito do Rio anunciou que o secretário Municipal de Trabalho e Renda, Jorge Felippe Neto (DEM), reabrirá o Centro de Trabalho e Emprego, no QualiShopping, em Jacarepaguá, em um esforço para que os serviços, antes oferecidos pelo poder público municipal voltem a funcionar para que a população seja beneficiada.

Paes destacou o peso que o combate à pandemia está tendo nesse início de governo. Ele destacou ainda que a vacinação da população acontecerá em breve e da forma mais organizada possível.

Eduardo Paes, por fim, ressaltou que os desafios pelos quais pelo Rio de Janeiro vai passar são enormes e estão presentes em todos os cantos da cidade.

9 COMENTÁRIOS

  1. Infelizmente a falta de estrutura de fiscalização e a falta de conscientização da massa por parte do governo levam a insana população a tratar a pandemia como algo menor, como se o pior já tivesse passado e que o vírus esteja menos agressivo. Basta andar por 5 minutos na rua que as aberrações podem ser observadas… Já passaram pela saída do metrô da Carioca? Dezenas de camelôs aglomerados, sem máscaras misturados àqueles que por ali transitam. Tem fiscalização? Nunca. Isso sem falar nas sextas feiras quando o churrasco e a cerveja rolam soltos… Sob a bandeira de não quebrar a economia e pelo desmedido objetivo de arrecadar impostos vivemos uma fictícia realidade de “níveis baixos de infecção”…. Até quando permaneceremos inertes diante dessa balbúrdia de políticos insanos e da manipulação suicida?

  2. Fossemos nós um povo civilizado, não precisaria o Estado dizer o que podemos ou não fazer. O simples exercício do dever de cidadania reduziria de forma absurda os níveis de contágio. Basta sair às ruas para ver as barbaridades. Tem gente sem máscara, loja sem álcool gel na porta de entrada, restaurantes lotados, casas de show funcionando sem respeitar as regras, etc. e por aí vai. Mas então o que o cidadão pode fazer? Se o comércio está cheio (loja, restaurante, salão, etc.) não entra (e não compra); se a calçada está aglomerada, atravessa a rua; se não tiver nada para fazer na rua (NECESSIDADE), fica em casa. Vamos deixar as ruas e o transporte público para quem precisa deles. Nosso problema maior é a conscientização, se isso não acontecer, mesmo com as vacinas, ficaremos ainda por muito tempo assistindo a dor da tragédia diária de nossa Cidade.

  3. Acreditei no Livre arbíbrio, mas, infelizmente, preciso admitir, não é algo filosófico, as pessoas tomarem suas próprias decisões neste momento. Neste momento, precisamos do governo, para, se preciso(e penso ser preciso), um lockdow nas regiões de praias, gente contaminando aos outros e nós os outros chegando a óbitos, enfim praticando crimes dolosos, (quando assume riscos aos outros é doloso). Srs do Governo, parem de ver a parte apenas politica, ou melhor, pratiquem a justiça, a coerência a lei na Politica!

  4. Ninguém sabe é NADA!
    Estão dando cabeçada uns nos outros!
    Agora todo mundo se acha médico sanitarista.
    Só quem está com parente no estágio morre não morre que sente!
    Coloquem esses técnicos para trabalhar.
    Se precisar importem, mas façam alguma coisa pel amor de Deus!

  5. Eu acho que o bom senso tem que prevalecer nesse momento. Não da para fazer um omelete sem quebrar o ovo e ponto. O que o povo precisa e respeitar as regras de distanciamento social, usarem máscaras e alcool gel frequentemente, parar de tanto contato físico! Respeitar a distância em filas. No mais temos que seguir a vida. Fechar tudo será o fim da economia e morreremos de fome ao invés de COVID ? o resto e tudo mimimi dessa geração lacradora ou terror da imprensa a onde alguns ganham 400.000,00 de salários

  6. Não existe essa história de tratar cada região fe uma maneira diferente,porque tem gente que mora na zona norte e que trabalha na zona sul como vai ser? Todo o estado está com risco alto de contaminação, parece que os nossos governantes estão querendo se enganar e acham que enganam a população também. Tomem uma atitude rápido antes que seja tarde demais,porque se não nem a vacina quando estiver disponível de fato pra população vai resolver. Cadê as medidas mais severas que o nosso prefeito falou que tomaria? Acho que não precisa bater outro recorde de mortes em um dia como foi o de ontem 12/01 para se tomar uma atitude.

  7. Não existe fórmula mágica para conter aglomeração sem uma campanha clara e objetiva do poder público. As experiências de isolamento social emplementadas em outros países, que se mostraram eficientes no controle dos casos de contaminações, devem ser seguidas com exemplo para os cariocas.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui