Foto: Divulgação | Prefeitura do Rio

Nesta quinta-feira (24/09), a Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, começou a segunda fase do projeto de requalificação ambiental do Morro do Pasmado, plantando 720 mudas de espécies da Mata Atlântica e do Oriente Médio.

Desde o início de julho, a Prefeitura do Rio começou um projeto de reformulação ambiental do Morro do Pasmado. A proposta visa substituir a floresta de espécies exóticas que, há anos, impede a regeneração natural da Mata Atlântica no local e obstrui a visão panorâmica do mirante.

Nos últimos dois meses, o trabalho se concentrou em remover a floresta exótica e o lixo orgânico acumulado na vegetação com grandes focos de mosquito. Agora, tem início a fase de plantio, preparando o ambiente para, que em dezembro, seja inaugurado o Memorial às vítimas do Holocausto, construído no local.

O monumento irá contar com uma edificação de 1,6 mil metros quadrados que terá galeria circular de memória do Holocausto e espaço para exposições, além de um obelisco de quase 20 metros de altura. O projeto de requalificação ambiental fará uma reforma completa do Parque Yitzhak Rabin, assim batizado em memória do Prêmio Nobel da Paz e ex-Primeiro Ministro de Israel.

O Memorial do Holocausto ganha agora uma área externa com trilhas e bosques cheios de significados simbólicos com essa importante requalificação ambiental, que vai trazer de volta as pessoas para frequentarem um parque muito mais equilibrado ecologicamente”, destacou o secretário Municipal de Meio Ambiente, Bernardo Egas, que esteve no Pasmado para inspecionar o início do plantio junto com o responsável pelo projeto, engenheiro Salvador Sá.

A requalificação do parque prevê a criação de dois novos bosques; a construção de uma trilha rústica de 400 metros circundando o Memorial do Holocausto; o plantio de 600 mudas de espécies da Mata Atlântica, no bosque do setor sul ao longo da trilha; a criação de três corredores visuais com visão panorâmica da enseada de Botafogo e do Pão de Açúcar nas faces norte e leste; e plantio de 6 mil mudas na face norte e leste, substituindo a floresta de espécies exóticas, que foi removida.

Os dois novos bosques, o de Israel e das Oliveiras, vão receber 120 mudas de espécies representativas do Oriente Médio, como Oliveiras, Cedro-do-Líbano, Tamareiras e Figueiras. Além disso, o projeto do novo parque prevê também ornamentação florística em alguns pontos. Um dos locais será no entorno do Memorial, onde haverá uma moldura florística com o plantio de Lantanas, espécies muito resistentes a longas exposições ao sol. 

Os corredores visuais não terão plantio de espécies arbóreas, como no antigo Mirante do Pasmado, justamente para não fechar a paisagem dos usuários da trilha. Em seu lugar, serão plantadas espécies de porte baixo como bromélias, bouganvilles e alamandas, espécies nativas cariocas. Nas margens da trilha serão plantadas espécies frutíferas nativas com o objetivo de proporcionar aos visitantes uma experiência gustativa e visual.

1 COMENTÁRIO

  1. E quando vai a Prefeitura plantar as árvores que seus funcionários derrubaram por toda cidade?
    Aqui tem uma praça com três árvores, tendo sido duas derrubadas.
    E no parque do Flamengo enfrenta redução da sua área verde além de avanço de espécies invasoras, está muito mal cuidado.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui