Foto meramente ilustrativa. Orau no Pexels

O Projeto de Lei Nº 1497/2019, de autoriados vereadores Prof. Célio Lupparelli (DEM) e Teresa Bergher (Cidadania), prevê que a Prefeitura do Rio de Janeiro deverá, no ato de aquisição de veículos para integrar a sua frota, em caráter permanente ou por meio de aluguel, dar preferência à aquisição de modelos que façam uso de energias renováveis, em especial a elétrica, conforme disponibilidade de mercado e equilíbrio econômico-financeiro para o Tesouro Municipal.

A Prefeitura do Rio deverá realizar a substituição de sua frota na razão de dez por cento ao ano, até que todos os veículos façam uso daquele tipo de energia.

O projeto foi aprovado em 2ª votação e segue para sanção ou veto do prefeito Eduardo Paes.

“É consenso, mesmo em muitos meios industriais, que o Capitalismo encontrará tremendas dificuldades existenciais no futuro próximo se não levar em consideração a sustentabilidade do Planeta, cujas reservas de recursos naturais vêm sendo esgotadas antes que possam ser renovadas e cada vez mais cedo, em geral, nos últimos anos, nos primeiros dias do mês de agosto (de acordo com a Global Footprint Network, o chamado “Dia de sobrecarga da Terra”). Não haverá “planeta” para todos no futuro se a consciência ecológica não for, definitivamente, a tônica do pensamento humano. Teremos, em poucos anos, um planeta mais quente, inóspito, exaurido e, por fim, avesso à existência humana em todos os lugares”, diz um trecho da justificativa do Projeto de Lei.

1 COMENTÁRIO

  1. Projeto louvável e estimulante para a indústria automobilística, de baterias e de materiais elétricos e eletrônicos nacional que, certamente, crescerá com substituições como a proposta.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui