Réveillon 2019 na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro - Foto: Gabriel Monteiro/Secom

A Prefeitura do Rio divulgou as empresas que ficarão responsáveis pela organização do Réveillon em 2021 na cidade. Para a realização, organização, produção e captação de patrocínio da festa da virada de Copacabana, a empresa SRCOM-SR Promoções Culturais Ltda foi a vencedora. E para os outros palcos distribuídos pela cidade, o escolhido foi o consórcio de empresas Donna Produções Culturais Ltda e Lu Araújo Produções Artísticas Ltda.

As empresas terão até o dia 31/10 para apresentar os patrocinadores oficiais. Vale ressaltar que a realização do evento está condicionada às determinações estabelecidas pelos órgãos competentes no combate à Covid-19.

A homologação do resultado dos Cadernos de Encargos do Réveillon, publicada nesta terça-feira (05/10) em Diário Oficial, também está disponível no site da Riotur na aba Editais e Avisos.

Eduardo Paes afirma que Rio terá Réveillon e Carnaval

Mesmo com os números da pandemia em franca queda, o Secretário Municipal de Saúde, Daniel Soranz, vem adotando um tom cauteloso quanto a flexibilização de medidas para realização de grandes eventos na cidade.

No entanto, o Prefeito Eduardo Paes já disse em diversas oportunidades que tanto o Réveillon, como a realização do Carnaval estão garantidos, e sem a necessidade de distanciamento social ou uso de máscaras.

A única certeza que a gente tem é que estamos vacinando todo mundo, e com todo mundo vacinado, a vida volta ao normal. Quem vai ficar fazendo distanciamento no Carnaval? Fica até ridículo, pedindo um metro de distância. Se tivesse, eu seria o primeiro a desrespeitar”, disse o prefeito.

Rio pode flexibilizar uso de máscaras no dia 15 de outubro

A flexibilização do uso de máscaras parece estar cada vez mais próxima na cidade do Rio de Janeiro. Nesta segunda-feira (04/10), o prefeito Eduardo Paes publicou no Twitter a ata de uma reunião do Comitê científico da Prefeitura, realizada em 09 de agosto, quando foram definidas as premissas para reabertura gradual da cidade.

Na publicação, ele destaca que o Rio pode atingir a segunda etapa do plano no dia 15 de outubro. Na segunda fase da flexibilização, os cariocas não terão mais obrigação do uso de máscaras em locais abertos sem aglomeração. O uso será obrigatório apenas onde não for possível manter distanciamento.

A etapa também prevê permissão para realização de eventos em locais abertos, com restrição de público até mil pessoas com uso de máscara obrigatório; e a abertura de danceterias, boates, casas de show e festas, em locais fechados somente para pessoas com esquema vacinal completo, e com 50% da capacidade.

Essas medidas poderão ser tomadas apenas quando 65% da população completar o esquema vacinal. Segundo Paes, a previsão é que esta marca seja alcançada em 10 dias.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui