Foto: Ricardo Cassiano/Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio, por meio da secretária municipal de Assistência Social, Laura Carneiro, inaugurou, nesta quinta-feira (24/06), uma nova sede do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) na Mangueira. A instituição irá atender famílias em situação de vulnerabilidade social nos bairros de Mangueira, Benfica, São Cristóvão e Leopoldina.

Desde início deste ano, foram 6.130 atendimentos naquela região, no trabalho preventivo de garantia de direitos como obtenção de documentos e acesso a programas sociais. A secretária municipal de Assistência Social, explica que o CRAS é onde se recebe as pessoas mais vulneráveis dessa cidade

“Quando vai receber o auxílio emergencial e não sabe o que fazer, por exemplo, ela vai no CRAS. Esse espaço é uma referência para essa parcela da população, que antes precisava frequentar a sede antiga, num local de difícil acesso. Estar aqui na Vila Olímpica da Mangueira significa que a gente vai poder ampliar o nosso atendimento“, disse a secretária.

Entre outros serviços oferecidos pelo CRAS, está a inscrição no CadÚnico, pelo qual o cidadão passa a ter acesso a programas como o Bolsa Família, de habitação e de erradicação do trabalho infantil, além de ter direito a carteira de idoso, isenção no pagamento de taxa de concursos, tarifa social de energia elétrica ou Benefício de Prestação Continuada.

Uma das usuárias há 15 anos é Selma Rodrigues Conceição Beatriz, 63 anos, moradora da Mangueira desde que nasceu. Ela se cadastrou para receber o Bolsa Família, inscreveu a filha no Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti) e toda a família passou a receber acompanhamento do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (Paif). Dona de uma venda em sua própria casa, Selma criou sozinha os dois filhos, um homem e uma mulher, e ainda ajuda na criação de quatro netos. Leonan, de apenas 8 anos, tem problema congênito no estômago e precisa usar bolsa de colostomia. O CRAS encaminhou o menino para o atendimento de saúde e conseguiu o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

“A Selma é uma pessoa muito alto astral, é uma família bonita. Trabalhar hoje na área social requer muito mais acolhida e escuta. Nesse mundo globalizado e corrido, as pessoas não têm mais paciência para escutar os outros”, contou Edna Ferreira, pedagoga que dirige o CRAS da Mangueira há 20 anos.

A sede antiga ficava na Avenida Bartolomeu de Gusmão,Parque da Candelária, desde 1990, nos fundos de uma creche. O prédio, no entanto, foi interditado pela Defesa Civil, após a queda de uma árvore centenária sobre o telhado. Com a transferência para Vila Olímpica da Mangueira, o CRAS poderá apoiar famílias que já utilizam os serviços das secretarias instaladas no local – Saúde, Educação e Esportes –, fortalecendo os vínculos sociais e familiares por meio de atividades educativas e lúdicas.

Além dos atendimentos, este ano o CRAS Adalberto Ismael de Souza está acompanhando 535 famílias com medidas de proteção e atendimento integral, e mantêm 198 participantes de seu serviço de convivência e fortalecimento de vínculos. O espaço conta com profissionais de assistência social, psicologia e pedagogia.

A cidade do Rio tem rede de 47 CRAS, que realizaram 375.368 atendimentos, nos cinco primeiros meses deste ano, 27% a mais do que os 294.385 realizados no mesmo período em 2020.

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui