(Foto: Heliomar Antunes/Seconserva)

A Prefeitura do Ri retirou 178 construções irregulares destinadas a comércio na Gardênia Azul, na Zona Oeste do Rio. A ação foi realizada nesta na terça-feira (10/08), na Avenida Isabel Domingues, com o suporte de agentes da Guarda Municipal e da Polícia Militar.

Durante a ação, enquanto eram demolidas as construções irregulares, fiscais da Coordenadoria de Controle Urbano (CCU apreenderam mais de 300 produtos. O material recolhido pode ser recuperado pelos comerciantes no depósito da CCU, em Bonsucesso, mediante comprovante de identidade.

Segundo informou a Prefeitura, nos dias 4 e 28 de junho, foram emitidas notificações para todos os quiosques derrubados . Os responsáveis recorreram à Justiça, conseguindo uma liminar que impedia a demolição e foi revogada posteriormente. Ainda de acordo com o município, nenhuma das edificações tinha possibilidade de legalização, pois foram erguidas sobre a calçada e em área não edificante às margens do canal que corta a via.

A secretária de Conservação, Anna Laura Secco, acompanhou os trabalhos.

Combater as construções irregulares é uma prioridade da atual gestão da Prefeitura. Não podemos tolerar o que não respeita a legislação vigente e, em alguns casos, ainda oferece risco para a população. Conservar a cidade também é manter a ordem urbana“, afirmou.

O secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale, também enfatizou a ação do poder público.

A Secretaria de Ordem Pública seguirá firme na fiscalização de construções e ocupações irregulares do espaço público, principalmente em áreas com influência de organizações criminosas. Não vamos tolerar que milicianos explorem áreas públicas para obterem vantagens em desfavor da população”, destacou.

A subprefeita de Jacarepaguá, Talita Galhardo, informou que o local onde estavam os quiosques irregulares será revitalizado e devolvido aos moradores.

“Espaço público é de todos e não pode ser explorado comercialmente”, ressaltou.

Além das demolições feitas pela Prefeitura, funcionários da Light cortaram 175 ligações clandestinas de luz, enquanto a Cedae retirou 181 pontos de fornecimento de água que abasteciam todas as edificações e haviam sido instalados de maneira ilegal.

Ao todo, a ação, que teve o apoio da Coordenadoria Geral de Operações Especiais (CGOE), envolveu 80 servidores e 65 agentes de segurança Foram usadas três retroescavadeiras, 12 caminhões e 32 viaturas. Ao fim da operação, a Comlurb recolheu cerca de 25 toneladas de entulho.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui