Prefeitura promete rever exigência do comprovante de vacinação para shoppings, táxis e carros de aplicativo

Prefeito reconheceu que houve "exagero" nas medidas e informou que um novo decreto deve ser publicado nesta sexta-feira

Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro - Foto: Divulgação/Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, recuou sobre decreto que incluiu táxis, shoppings e carros de aplicativo nos estabelecimentos e serviços que precisam exigir comprovantes de vacinação contra a Covid-19. O prefeito reconheceu que houve um exagero e na sexta-feira (3/11) um novo decreto deve ser publicado com as novas medidas.

“O passaporte vacinal é um garantia pra que a cidade continue aberta. É a garantia de que o Rio vai voltar a funcionar, como voltou. Ele diminui o risco de transmissão e protege as pessoas do risco de morte. Eu assinei o decreto mas tem de ver a praticidade e efetividade de algumas medidas mesmo. Não adianta criar medidas que a gente sabe que ninguém vai cumprir”, disse Paes, que completou.

Como o governo federal não toma nenhuma medida de exigência de comprovação de vacina pra entrar no Brasil, e isso é papel do governo federal, a gente ampliou a exigência do passaporte vacinal na cidade, dentro da racionalidade, houve exageros, com taxis e shoppings, mas a gente vai proteger mais a cidade“, disse Paes

Para os demais locais, a regra de exigência do passaporte da vacina continua valendo.

A vacinação a ser comprovada deve corresponder à 1ª, 2ª dose ou a dose única, de acordo com o cronograma instituído pela Secretaria Municipal de Saúde do Rio em relação à idade do indivíduo.

Locais que exigem o passaporte:

  • bares, lanchonetes, restaurantes e refeitórios (áreas internas ou cobertas);
  • boates, casas de espetáculos, festas e eventos em geral;
  • hotéis, pousadas e aluguel por temporada;
  • salões de beleza e centros de estética;
  • academias de ginástica, piscinas, centros de treinamento, clubes e vilas olímpicas (já era exigido);
  • estádios e ginásios esportivos (já era exigido);
  • cinemas, teatros, salas de concerto, salões de jogos, circos, recreação infantil e pistas de patinação (já era exigido);
  • museus, galerias e exposições de arte, aquário, parques de diversões, parques temáticos, parques aquáticos, apresentações e drive-in (já era exigido);
  • conferências, convenções e feiras comerciais (já era exigido).

2 COMENTÁRIOS

  1. Mundo a fora sabe que a vacina não impede 100% a infeção ou transmissão daí o teste ter mais sentido antes de entrar em um país ou local. Dudu não quer turismo de fora no Rio? Nem com teste negativo? ok, tudo bem! Não dá pra ficar neste vem e vai. Já avisei meus grupos de turismo aqui fora que Rio não vai rolar. Infecta no Uber e no restaurante com toldo cobrindo mesa na calçada, mas no metrô e no baile funk na favela tudo tranquilo. Realmente é muita tziencia, é tziencia pra ca…….! O Dudu fala toda hora que hospitais tão ficando vazios, que pandemia tá acabando e que o povo se vacinou em massa. Tipo, sei lá 90% cariocas vacinados? Por que estas restrições agora? Vai ter loquidau também Dudu? Dudu não acredita na vacina? Sabe como é ditador fascista, 90% de compliance não basta. O negócio é controle total, 100% fazendo o que papai Estado mandar ou ele não descansa. Tudo no estado, tudo pelo estado, tudo através do Estado! Eis o novo Rio de janeiro! E depois não querem que as pessoas comecem a ficar desconfiadas da tal tziencia e comecem a criar teorias conspiratórias! Gente que nunca foi contra vacina começando a desconfiar que há algo de podre no reino da Dinamarca….Tá possuído pelo Dr Mengele Dudu? E eu que pensei que o Dudu era aquele carioca da gema, indomável, malemolente, gente boa. Cade a tolerância com a minoria Dudu? 90% não basta não, cara? Tem que ser 100%? Putz…

  2. Se uma pessoa com Passaport SANITÁRIO estiver portando o Vírus, então o PASSAPORT É PRO VIRUS. ISSO É ABUSIVO. Toda a Sociedade de bem deveria ter consciência e ser contra essa medida imbecil

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui