Foto: Daniel Valdez

Uma visita inusitada chamou a atenção de quem mora em Paraty, na Região da Costa Verde, na quarta-feira, dia 6/10. Moradores se depararam com um bicho-preguiça circulando livre, leve e solto numa área de condomínio perto da sede da Reserva Ecológica Estadual da Juatinga, unidade de conservação administrada pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

A preguiça-comum (Bradypus variegatus) é encontrada desde Honduras, no norte, passando pela Nicarágua, Costa Rica e Panamá até a Venezuela, Colômbia, Equador, Bolívia, Brasil e leste do Peru. A espécie tem atividade diurna ou noturna, alimenta-se principalmente de folhas, ramos e brotos de várias plantas.

Na Região da Mata Atlântica, por ter se tornado um ambiente bastante crítico para a sobrevivência deles, a espécie já pode ser considerada como mais um dos muitos animais nativos categorizados como animais sinantrópicos, ou seja, aqueles que perdem seus habitats parcial ou totalmente e são forçados a viver ou utilizar os recursos oferecidos pelos fragmentos de vegetação nas áreas urbanas, tanto em áreas conservadas ou recuperadas (parques, reservas), como aquelas utilizadas para arborização urbana.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui