Edmar Santos, ex-secretário estadual de Saúde do RJ, exonerado do cargo durante a pandemia devido a suspeitas de irregularidades na gestão - Foto: Luciano Belford/Agência O Dia

O ex-secretário de Saúde do Rio de Janeiro Edmar Santos vê seu nome envolvido em mais uma acusação de corrupção. Isso porque o Tribunal de Conta do Estado (TCE-RJ) está investigando uma suposta compra de medicamentos que compõem o chamado ”kit intubação”, para pacientes infectados pela Covid-19, com preços exorbitantes.

Vale ressaltar que, em alguns estados brasileiros, como São Paulo, por exemplo, os estoques do ”kit intubação”, formado por sedativos, anestésicos e fármacos de relaxamento muscular, estão em níveis críticos.

Edmar Santos ocupou o cargo de secretário estadual de Saúde entre janeiro de 2019 e maio de 2020. Atualmente, responde em liberdade por improbidade administrativa em ação que apura supostas irregularidades na compra de respiradores para pacientes com Covid-19.

Na investigação do TCE-RJ, os medicamentos adquiridos com preços exorbitantes seriam de aproximadamente R$ 70 milhões. O sobrepreço apurado foi de cerca de R$ 32,4 milhões. Ademais, devido a medidas cautelares do Tribunal e iniciativas do próprio governo, os contratos não foram executados em sua totalidade. Com isso, o dano financeiro aos cofres públicos foi calculado em R$ 3,3 milhões.

Atualmente, a Secretaria Estadual de Saúde do RJ é comandada por Carlos Alberto Chaves, que, por sua vez, nega qualquer fraude e diz que está colaborando com a Justiça.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui