Foto: Reprodução/Internet

Nos últimos dias, os moradores da cidade do Rio de Janeiro, de maneira geral, tiveram uma ”surpresa” nada agradável. Um problema – já detectado – no sistema de distribuição de água da Cedae vem causando diarreia em boa parte da população.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

Embora muitos adultos também tenham adquirido o problema, as crianças, por estarem em fase de crescimento, acabam sendo as mais afetadas, apresentando quadros mais severos.

Além disso, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a diarreia é a maior causa de morte entre crianças com menos de 5 anos.

Procon-RJ estuda processar Cedae

Nesta quarta-feira (08/01), o Procon-RJ instaurou um Ato de Investigação Preliminar contra a CEDAE. O objetivo da ação é averiguar possíveis problemas na qualidade da água fornecida.

A abertura do ato de investigação foi motivada por denúncias recebidas, reportagens, reclamações de consumidores e vídeos divulgados pela imprensa, onde os consumidores relatam que a água estava turva e com mau cheiro. A autarquia vai questionar a empresa se a água está própria para o consumo e quais medidas serão adotadas para normalizar o serviço entregue ao consumidor.

A Ceade terá 10 dias, a contar do recebimento da notificação, para esclarecer diversos questionamentos, tais como:

  • Quais os bairros e regiões foram afetados pela alteração na água?
  • Qual o motivo dessas alterações e quantos consumidores apresentaram reclamação junto a Cedae?
  • Houve laudo técnico nas áreas afetadas? Qual foi o resultado? Existe algum risco aos consumidores?
  • A empresa concederá o direito ao reembolso aos consumidores que tiveram gastos extraordinários por conta destes fatos?
  • Quais as medidas a Cedae está tomando para sanar e evitar novos problemas como este? Existe previsão de normalização dos serviços?

Estas serão algumas perguntas que a empresa terá que responder ao Procon-RJ.

A equipe de fiscalização está nesta quarta-feira (08/01) colhendo informações em alguns bairros e nesta quinta (09/01) continuará fazendo este trabalho em outras regiões citadas pelos consumidores.

O Presidente do Procon-RJ, Cássio Coelho, ressalta que diante de uma situação de vulnerabilidade do consumidor, o Procon está tomando as providências cabíveis.

8 COMENTÁRIOS

  1. Moro em Irajá e à água continua com cheiro e gosto de barro. Até quando temos que consumir essa porcaria que a Cedae nos fornece sem cerimônia! Continua causando diarréia e tonteira na população. Queremos ser ressarcido pelos danos causados e despesas com água mineral!!!

  2. Moro em Jacarepagua, Freguesia. A agua esta com cheiro e sabor de terra.
    Estamos comprando agua mineral de boa procedência, mas o gasto, inesperado,
    tem sido alto. Não contavamos com esta despesa.
    Acho que a CEDAE deve reembolsar tais despesas, atraves de comprovante de nota fiscal.
    Outra medida, seria descontar um percentual da conta de agua, dos bairros atingidos, ate
    a agua estar saudavel para consumo.

  3. Até o presente momento não foi observado turbidez na água no meu bairro em Bras de pina, porém tive 3 dias de diarréia e continua até o presente momento

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui