Procon Carioca pede esclarecimentos da Ferrero Brasil após suspeitas de salmonela em seus produtos

A Ferrero deve informar sobre os produtos que ainda estão em circulação no Brasil, quais produtos estão com suspeita ou apresentam resultados positivos para a bactéria, entre outros

Kinder Schoko Bons (Foto: Divulgação)

O Procon Carioca, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Cidadania, enviou notificação à Ferrero do Brasil para esclarecimentos por conta da proibição pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de comercialização, distribuição e importação de produtos da marca Kinder Schoko-Bons, fabricados e importados da Bélgica.

Nas últimas semanas ocorreu uma suspeita de contaminação pela bactéria salmonela, os produtos da marca da fornecedora foram retirados dos mercados de diversos países da Europa.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, em 14 de abril de 2022, proibiu a comercialização, distribuição e importação de diversos produtos fabricados pela fornecedora, tendo em vista o alerta internacional de recolhimento dos produtos Kinder fabricados por Ferrero Ardennes S.A, de Arlon, Bélgica. E desde o último dia 27 de abril, a lista de produtos proibidos foi ampliada pela Anvisa.

Diante desta questão, o Instituto Municipal de Proteção e Defesa do consumidor solicita que a Ferrero do Brasil esclareça quais produtos da fornecedora estão com suspeita ou apresentaram resultado positivo para a bactéria salmonela; desses produtos, quantos foram importados para comercialização no Brasil, quantos produtos proibidos ainda estão em circulação no Brasil, quais medidas foram e estão sendo tomadas para cessar o consumo dos produtos contaminados pela salmonela no Brasil e quantos consumidores registraram reclamações nos canais de atendimento da fornecedora, entre outros.

Atualização 16:37

Em nota enviada ao DIÁRIO DO RIO, a Ferrero do Brasil informou que ainda não recebeu qualquer notificação oficial do Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor do Rio de Janeiro e destaca que tomou conhecimento, a partir da imprensa, da informação sobre o caso.

A empresa também destacou que tem mantido diálogo constante com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, e comunicou às autoridades sua decisão de proceder a um recall voluntário e preventivo de qualquer versão do produto kinder schoko-bons, fabricados na Bélgica.

A companhia ainda afirma que não importa nem comercializa o produto no país, e que tomou conhecimento de que uma empresa terceira, com a qual não mantém relação comercial, importou de forma independente os kinder schoko-bons, que fazem parte de recall conduzido no exterior e, assim, podem apresentar potencial contaminação por Salmonella.

Segundo a Ferrero, todos os demais produtos Kinder distribuídos pela Ferrero do Brasil são seguros para consumo e não são afetados por este recolhimento.

Advertisement

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui