Procura por imóveis de temporada para o Réveillon aumentou 40%

A projeção é que, até o Réveillon, a taxa de ocupação dos imóveis de temporada alcance os 90%, o que acaba impulsionando pra cima os valores de locação em geral no período das festas

Imagem meramente ilustrativa do Réveillon 2019 na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro - Foto: Gabriel Monteiro/Secom

As expectativas para o Réveillon de 2021 estão altas nos mercados de turismo nacional e imobiliário. Para o período de virada de ano, foi registrado um aumento de 40% na procura por imóveis para aluguel por temporada na cidade do Rio de Janeiro no comparativo com o mesmo período de 2020, quando não aconteceram as tradicionais festas, mas ainda assim houve um feriado de 4 dias.

Mesmo com a melhora, o cenário ainda é inferior ao período pré-pandemia, até porque o turismo internacional ainda está bem devagar. A taxa de ocupação média dos imóveis de temporada ultrapassou a marca de 60%, mas se fosse uma época sem pandemia a expectativa seria que já tivesse passado os 80% nesta época do ano. Isso se dá porque muitos turistas ainda estão inseguros para grandes deslocamentos, aguardando um cenário mais favorável em relação à pandemia. Porém, a projeção é que, até o Réveillon, a taxa de ocupação dos imóveis de temporada alcance os 90%, o que assegurará a rentabilidade dos proprietários de imóveis.

Desde o início da pandemia, muitos proprietários optaram por disponibilizar suas unidades imobiliárias para locação fixa, visando um rendimento certo todo mês. No entanto, com o retorno da demanda, há um movimento 20% maior de proprietários que estão novamente procurando as imobiliárias para disponibilizarem as unidades para temporada.

Aqui em Copacabana, a procura de imóveis por temporada explodiu, concomitantemente ao aumento da ocupação hoteleira no bairro. Os nossos clientes têm cancelado a busca por inquilinos para ‘long stay’ e vêm informando a preferência pela locação por temporada”, disse ao Diário André Cyranka, Diretor da Sergio Castro Imóveis, empresa de grande atuação no bairro. “Temos casos de clientes que tiraram os apartamentos de venda pra alugar durante as festas de fim de ano”, complementa.

O aumento da procura pelos imóveis de temporada impacta diretamente nos preços das diárias. Nesse sentido, os valores médios estão até 20% mais elevados. Isso também empurra pra cima os valores de locação anual dos apartamentos conjugados, de quarto e sala e dois quartos, ao menos no período.

A ampla maioria dos turistas que está procurando imóveis de temporada é do próprio Brasil, mais especificamente do Sudeste, Sul e Nordeste. A pandemia estimulou o turismo doméstico e essa tendência permanece para a virada do ano com cerca de 80% de turistas brasileiros e 20% de estrangeiros.

A Zona Sul continua como foco de quem deseja passar a virada do ano na capital. Copacabana, Ipanema e Leblon lideram o ranking entre os locais mais procurados.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui