Foto: Myke Sena/MS

Nesta quinta-feira (30/09), a Procuradoria Geral do Município do Rio (PGM) entrou com um recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) com um pedido para cassar a liminar que suspendeu o “passaporte da vacina” na cidade. A informação é do portal de notícias “G1”.

Uma decisão liminar suspendeu a exigência do passaporte da vacina para entrar em locais de utilização coletiva na cidade, como determinava o decreto da Prefeitura. A Procuradoria-Geral do Município já havia informado que apresentaria um recurso contra a decisão.

Entre os argumentos utilizados pela PGM está o fato de a “legislação municipal estar amparada nas evidências relacionadas à eficácia das vacinas e na avaliação dos espaços de potencial transmissão do vírus, o que torna a eventual manutenção da decisão recorrida uma ameaça à segurança jurídica, à ordem administrativa e à saúde pública“.

A PGM foi ao STF após o presidente do Tribunal de Justiça do RJ se declarar incompetente pra analisar o recurso.

Prefeitura lamenta decisão

O secretário municipal de Saúde do Rio, Daniel Soranz, criticou a decisão liminar do desembargador Paulo Rangel: “É lamentável uma decisão como essa. Não tem nenhum embasamento, nenhuma questão clínica. Não leva em consideração o momento pandêmico que a gente está vivendo e a importância da vacina”.

Via Twitter, o prefeito Eduardo Paes também criticou a decisão: “Às vezes me pergunto como algumas pessoas podem aceitar que se proíba fumar no escritório, shopping, metrô.. e também aceitar que seja obrigatório o uso do cinto de segurança! Será que essas pessoas não se sentem cerceadas em suas liberdades individuais? Só para refletir…“, publicou.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui