Foto: Divulgação

Por conta da ação habitualmente errada de moradores do Rio de Janeiro, que deixam seus lixos no chão, na porta de suas casas, aguardando a coleta feita pelos profissionais da Comlurb, e as chuvas acabarem levando as sacolas, entupindo, assim, galerias, bueiros e ralos, prejudicando o escoamento das águas pluviais, o vereador Jair da Mendes Gomes (PMN) apresentou o Projeto de Lei nº 1.252/2019, que altera a Lei nº 3.273/2001, visando permitir a colocação de lixo domiciliar em cestas no logradouro, quer seja montada sobre pedestal, pilarete ou qualquer outro dispositivo de sustentação, desde que não dificulte a circulação dos pedestres ou a entrada e saída das edificações.

Outra exigência é que o material seja depositado nos horários e condições estabelecidos e definidos pela Comlurb.

Segundo especificação do projeto, a cesta de lixo deverá ser instalada à altura máxima de 1,2 metros, obedecendo a distância de 60cm a partir do muro da residência, devendo garantir a distância mínima de um 1,3cm para a livre circulação nas calçadas. Os custos relativos à instalação das cestas de lixo são de inteira responsabilidade do morador.

”O acúmulo de lixo é prejudicial à cidade porque provoca infestação de ratos, baratas e mosquitos. Isso sem contar com a contribuição para alagamentos. Por esse motivo, apresentei esse projeto e conto com a aprovação pelos meus pares”, defendeu o vereador Jair da Mendes Gomes.

1 COMENTÁRIO

  1. O problema sao, além de colocar lixo em lugares indevidos (no chão) está nos animais (cachorros e mendigos) que rasgam os sacos de lixo para pegar o que de valor encontrarem, deixando o conteúdo espalhando.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui