Foto: Reprodução

O vereador Alexandre Isquierdo (DEM) apresentou à Câmara o projeto de lei Nº 6.805, que prevê que a Rede Municipal de Saúde ofereça assistência psicológica e social aos estudantes que sofrerem bullying e estiverem matriculados nas unidades municipais de ensino. Segundo o projeto, o atendimento deverá ser multidisciplinar, realizado por psicólogos e assistentes sociais da rede pública de saúde.

Segundo a psicóloga Andresa Bueno, o bullying pode acarretar em diversas consequências. “O bullying pode causar isolamento, transtornos como a ansiedade e a depressão, por exemplo, baixa autoestima, embotamento afetivo, entre outros”, ela destacou.

O projeto de lei prevê ainda que os diretores das unidades municipais de ensino, ao identificar um caso de bullying, deverão encaminhar os alunos para avaliação. Os pais ou responsáveis também poderão solicitar aos diretores o encaminhamento. Os estudantes que já estiverem sendo assistidos por um profissional da rede privada devem informar ao diretor da unidade de ensino que estiver matriculado, através de declaração do profissional.

Andresa reforçou ainda a importância do atendimento psicológico, não apenas às vítimas, mas também aos autores do bullying, que muitas vezes podem precisar de cuidados.

Seria de grande importância esse tipo de trabalho, para o acolhimento e cuidados com essas vítimas, visto que os prejuízos costumam ser enormes. É importante lembrar que o autor do bullying é alguém que também requer cuidados e tratamento, pois ninguém age assim simplesmente porque quer. Muitos também estão doentes emocionalmente e psicologicamente. Um trabalho de prevenção e orientação ajudaria bastante a reduzir o número de casos e os impactos causados”, ela explicou.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui