Foto: Reprodução Internet

Enquanto a Câmara dos Vereadores tenta legalizar o funcionário fantasma, a, vejam só, ALERJ quer aumentar a transparência dos funcionários na Casa. E, mostrando que em alguns momentos o contrário se entende, a proposta é do deputado Eliomar Coelho (PSol) mas recebeu emenda de Alexandre Freitas (NOVO).

A proposta original de Eliomar, torna obrigatória a divulgação semanal da lista de presença dos deputados às sessões da ALERJ, que ficava obrigada a divulgar as justificativas para as faltas e o valor dos descontos aplicados no contracheque dos deputados. Ela seria votada hoje, mas sofreu uma emenda de Freitas que melhorou o projeto de Eliomar.

A emenda apresentada pelo Novo ao projeto de lei do Psol amplia a proposta de dar mais transparência às informações da Casa. Ele propôs que o perfil de cada parlamentar no site da ALERJ informe os assessores nomeados pelo gabinete — e quanto ganham.

Na tribuna do plenário, o autor da emenda, deputado Alexandre Freitas, elogiou o projeto do colega do Psol e justificou sua iniciativa:

Alexandre Freitas

Tudo que a gente entende que privilegie a liberdade do indivíduo e a transparência, a gente irá votar a favor. Sendo assim que gostaria de elogiar a iniciativa do nosso nobre deputado Eliomar Coelho, que apresentou um projeto de suma importância, que vai dar mais transparência e capacidade de fiscalização do cidadão fluminense. Eu emendei esse projeto porque entendo que, além das faltas que precisam ser publicadas, esta Casa tem o dever de informar o cidadão quem são os assessores que estão vinculados a cada deputado. E a minha emenda vai nesse sentido. Ou seja, obrigar a Alerj a publicar no site, no perfil do deputado, quem está lotado, quanto recebe e qual é a sua função. E eu espero que essa Casa aprove e a gente consiga dar mais transparência, que o cidadão fluminense merece“.

2 COMENTÁRIOS

  1. Prezado Quintino, lembro na postagem anterior que fiz, sobre a Câmara Municipal, onde expus que tentei em vão que a Alerj informasse sobre o funcionamento do controle da presença de assessores dos deputados, porém, sem resposta depois de meses do pedido.
    Acredito, sinceramente, que embora assessores até possam serem dispensados do ponto, porém, cumpriria que fossem as atividades justificadas em relatório, como um time sheet, assinado pelo próprio e pela chefia de gabinete sob pena de responsabilidade.
    Peço o obséquio do nobre jornalista, a fim de atender o interesse de todos os fluminenses e cariocas no quesito transparência das casa legislativas, que tal sugestão fosse transmitida aos deputados e vereadores.
    Um abraço!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui