A bancada de vereadores do PSOL na Câmara de Vereadores entrou nesta sexta-feira, 9/4, com uma Ação Popular Coletiva no Tribunal de Justiça, pedindo o afastamento imediato de Jairinho, do mandado de vereador. Foi pedido que ele seja suspenso cautelarmente do exercício das funções públicas, inclusive com a suspensão do funcionamento do gabinete parlamentar e todas as suas prerrogativas funcionais enquanto durar o inquérito policial, independente de habeas corpus que venha a conseguir.

Esta medida não inibe qualquer Representação no Conselho de Ética da Câmara pela cassação do mandato do vereador, que PSOL, PT e parlamentares de outros partidos estão preparando.

Jairo é presidente da Comissão de Justiça e Redação da Câmara, uma das mais importantes do Legislativo, responsável por analisar a constitucionalidade dos projetos de lei. De acordo com a nota do PSol: “Um parlamentar acusado de homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e contra pessoa indefesa, não pode continuar exercendo mandato público. Há indícios sólidos e provas concretas da participação de Jairo no crime hediondo contra o menino Henry.

1 COMENTÁRIO

  1. Essa informação divulgada no RJTV-1 da Globo, de que Jairinho bateu na ex-mulher na lua de mel e que tentando desqualificá-la, Jairinho e seus assessores divulgaram fotos íntimas dela (hein????)
    Quais são os assessores do Jairinho na Câmara de Vereadores(??)
    Tem agora partir para cima deles. Exonerá-los, denunciá-los..

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui