Imagem meramente ilustrativa - Foto: Reprodução

Durante a divulgação da 33ª edição do Boletim Epidemiológico da Covid-19, na manhã desta sexta-feira (20/08), o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz afirmou que, nos últimos 30 dias, foram internados 286 idosos que já poderiam ter completado o ciclo vacinal, mas não retornaram para tomar a segunda dose.

Vamos fazer uma grande busca ativa de todos que não tomaram a primeira dose, mas quem conhece uma pessoa nesta situação pode levá-la a um de nossos postos. Temos uma nova variante e um aumento expressivo no número de casos, mas ainda vemos pessoas que não se vacinaram“, disse Soranz.

O boletim desta sexta-feira mostrou que os casos da doença têm aumentado no município do Rio nas últimas seis semanas. Segundo a Prefeitura, esse efeito pode estar sendo causado pela circulação da variante Delta, que, como estudos apontam, tem maior transmissibilidade. Em oposição à tendência de aumento dos casos por Covid-19, o índice de óbitos mantém queda sustentada, o que pode ser relacionado como reflexo da imunização, que tem como principal objetivo prevenir casos graves e mortes.

Na última semana, 94 novos casos de diferentes variantes do vírus foram identificados na cidade, sendo 72 moradores locais e os demais pacientes que foram atendidos na cidade, mas moram em outros municípios. Desde a identificação do primeiro caso de novas variantes, o município contabiliza 1.246, sendo 1.007 residentes. Entre os que moram na cidade, 871 casos da Gamma, 123 da Delta e 13 da Alfa. Dos moradores infectados por essas cepas, 59 faleceram, seis permanecem internados e 942 já são considerados curados.

Por causa da disseminação da variante Delta e do aumento do número de casos notificados, o boletim aponta ainda o mapa de risco da cidade para Covid-19 retornando ao estágio de atenção. Todas as 33 regiões administrativas (RAs) do município estão classificadas com risco alto (laranja) para transmissão do coronavírus.

Durante a divulgação, o prefeito Eduardo Paes ressaltou que poderá ampliar as medidas de proteção à vida se a população não mantiver os protocolos sanitários, com o uso de máscara e a higienização das mãos, além de respeitar o distanciamento social. Por isso, pediu atenção redobrada à população para a necessidade de ser proteger e vacinar.

Não podemos permitir que esses casos se agravem e terminem em óbito. Precisamos da colaboração da população, entendendo que neste período de inverno temos uma transmissão maior da doença. Nós vamos tomar medidas mais restritivas se houver um aumento no número de casos graves“, afirmou Paes.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui